Luanda - Percorrendo um bocadinho a história, é sabido que a Revolução de Outubro de 1917 na Rússia, teve influências nas revoluções chinesa, cubana, coreana, vietnamita e outras. De igual modo, esta Revolução que implementou um regime socialista soviético influenciou tanto os movimentos de libertação africanos como o tipo de regime pós-independência e, o nosso país não foge à regra.


Fonte: Club-k.net

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, seguiu-se o período da Guerra Fria, que opôs as duas superpotências: de um lado a União Soviética com o Pacto de Varsóvia; do outro os Estados Unidos com a NATO. A África transformou-se num campo de batalha da Guerra Fria, a maioria dos movimentos independentistas africanos lutavam à todo custo em garantir ajuda financeira e militar, foram “engolidos” pela ideologia comunista que os apoiou. Em Angola o socialismo triunfou.


Para quem fez IMNE, naquele tempo, havia uma disciplina IEPP (Introdução aos Estudos Polípticos Pedagógicos), que tinha muita carga ideológica. Um dos ensinamentos de que me lembro é a expressão “CRIAÇÃO DO HOMEM NOVO”. O conceito de homem novo é: Aquele que concebe o mundo cientificamente.


Assim, a “Revolução Angolana” trouxe a independência, mas também o regime de partido único. Nessa época, a criação do homem novo significava essencialmente que a Revolução não é apenas uma transformação das estruturas sociais, das instituições do regime, é também uma transformação profunda e radical dos homens, de sua consciência, costumes, valores e hábitos, de suas relações sociais.


Portanto, uma revolução só o é se for capaz de criar um "novo homem", um revolucionário completo que deve trabalhar a cada hora da sua vida, “Cada cidadão é e deve sentir-se necessariamente um soldado”, “Estudar é um dever revolucionário”, eram slogans da época. O sacrifício consentido em prol da revolução vale apena, pois o indivíduo está a dedicar todo o seu tempo numa luta pelo bem-estar social. Uma vez que a satisfação das necessidades coletivas e o bem-estar social é o fim da revolução, então, essa actividade/trabalho é o que realmente agrada ao indivíduo, então imediatamente deixa de ter a qualificação de "sacrifício", passa a ser uma qualidade fundamental no Revolucionário, sentir o mesmo - revolução - como tal, entregar-se de corpo e alma e trabalhar com dedicação. É um pouquinho dessa visão que nos tem faltado nos últimos anos, se calhar.


Naquele tempo fizeram-se coisas boas das quais simplesmente nos desfizemos, em nome dos “tempos novos”, “Os tempos são outros”, “Agora é multipartidarismo esquece o comunismo”, dizia-se. Mas esquecemo-nos que o "homem novo", é o homem do século XXI confiante, ambicioso e orientado para grandes realizações; com grandes expectativas do seus empregadores, que tende a buscar novos desafios no trabalho e não tem medo de questionar a autoridade, que não é um “Sim chefe”.


Todos os empregadores procuram um conjunto específico de habilidades nos candidatos aos empregos os permitirá realizar determinada tarefa, por isso, o homem do século XXI deve possuir habilidades de comunicação, habilidades de resolução de problemas, honestidade, competências técnicas, ética no trabalho, flexibilidade, determinação e persistência, capacidade de trabalhar em harmonia com os colegas de trabalho, deve ser ansioso e disposto a adicionar à sua base de conhecimentos e habilidades novos saberes, assim como deve cultivar a  lealdade.


Numa altura em que fala-se muito do resgate dos valores morais, cívicos e culturais, se calhar, devemos pensar na CRIAÇÃO DO HOMEM NOVO ANGOLANO. Podemos trazer aqui à colação, os conceitos acima referenciados e adaptá-los à nossa realidade mwangolé, para dar aporte ao que é isso de criação do homem novo angolano.


Assim, o O HOMEM NOVO ANGOLANO seria aquele cidadão consciente da sua condição de cidadão, aquele que sabe que tem direitos e reclama quando estes são espezinhados, mas que também sabe que tem deveres e esforça-se por cumpri-los, ainda que exija sacrifícios, quando o exigirem; Um patriota, alguém comprometido com o país e que faria tudo mais alguma coisa para o ver crescer, para o bem de todos os filhos e filhas dessa terra maravilhosa, Angola.!!!!!!



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: