Lisboa - O político angolano João Kambwela está em vias de abandonar oficialmente o MPLA, para abraçar um novo projecto político (Partido da Juventude) e eventualmente concorrer às próximas eleições gerais, em Angola.

Fonte: Club-k.net

Para concorrer as próximas eleições

A informação foi avançada esta quarta-feira, pela Rádio Despertar, alegando que o Kambwela  terá se queixado de estar a ser mal aproveitado pelo MPLA.


Há cerca de 12 anos, Kambwela apresentava-se como pré-candidato às eleições presidências em Angola. Porém, com o surgimento da actual constituição "atípica", que extingue o modelo de eleições presidências directas, em Angola, João Kambwela congelou o seu sonho presidencialista. Contudo, seriam  nas eleições de 2012, que aderiu ao MPLA, pelas mãos do então secretário provincial de Luanda, Bento Francisco Bento.


Desde então nunca se ouviu mais falar deste politico angolano. Está semana, citado pela Rádio Despertar, João Kambwela referiu que desde que aderiu ao MPLA nunca foi convocado para uma reunião partidária, por isso mesmo considera que a sua saída a se assinalar em breve, é em resposta ao sub-aproveitamento a que  foi submetido. 


Formado em política internacional, João Kambwela é um quadro que viveu por muitos anos no Canadá onde concluiu os seus estudos. Desde que regressou a Angola, já exerceu as funções de director adjunto do gabinete do então vice-ministro da comunicação social, Manuel Augusto. Nos anos posteriores desvinculou-se das estruturas governamentais para anunciar a sua pretensão em concorrer às eleições presidências em Angola.

 

Semelhante a historia de João Kambwela, em 2015, uma dirigente da UNITA, Elsa Luvualu havia também abandonado o MPLA, depois de três anos ter aderido ao partido no poder. Alegou que foi impossível militar no MPLA, e pediu perdão a UNITA que a recebeu de volta. Elsa foi esposa de um malogrado histórico membro do Bureau Político do MPLA, Pascoal Luvualu.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: