Luanda - Os candidatos à liderança do maior partido na oposição em Angola já se movimentam em busca do maior número de apoiantes. Para falar sobre o assunto, ouvimos o presidente da comissão de mandatos, Silvestre Gabriel Samy, o presidente cessante da UNITA, Isaías Samakuva e os analistas, Domingos Ferreira e Agostinho Sikato.

*Arão Ndipa
Fonte: VOA

"Próximo presidente deve seguir a linha do partido"

O processo de sucessão na liderança do maior partido na oposição em Angola registou, esta semana, mais um capítulo, com o acto de formalização dos pré candidatos que depositaram na comissão de mandatos, a intenção de assumir a liderança da UNITA.


São no total cinco candidatos, com destaque para a entrada, pela primeira vez na corrida, do actual vice presidente, Raul Danda, originário da província de Cabinda, que vai disputar a liderança do galo negro em igualdade de circunstâncias com o actual presidente da bancada parlamentar, Adalberto Costa Júnior, com o antigo cabo de guerra, o General Abílio Kamalata Numa, com Alcides Sakala, diplomata e actual porta-voz do partido e José Pedro Katchiungo, um jovem irreverente e um dos vice presidentes da bancada parlamentar.

 

Tido como uma das figuras presidenciáveis na liderança da UNITA, o antigo secretário geral, Paulo Lukamba Gato, ficou pela desistência sem esclarecer as causas da sua decisão, mas colocando-se apenas na condição de militante e delegado ao congresso.


Entretanto, a Voz da América apurou de fontes bem informadas que a decisão de Lukamba Paulo Gato, tem muito que ver com algumas manobras que estão a ser feitas para denegrir, quer a sua imagem como a do actual presidente da bancada parlamentar, Adalberto Costa Júnior.


Estas manobras, segundo as mesmas fontes, são atribuídas a um certo grupo que se identifica com o candidato escolhido por Isaías Samakuva, no caso o deputado Alcides Sakala.


O Presidente cessante, Isaías Samakuva já formalizou a sua posição de não mais concorrer a sua própria sucessão e prometeu não abandonar a vida política activa.


O congresso que vai eleger o terceiro presidente da UNITA, realiza-se entre os dias 13 a 15 de Novembro próximo em Luanda e prevê introduzir algumas alterações nos estatutos do partido.


O presidente da comissão de mandatos do congresso, Silvestre Gabriel Samy, fala dos passos que serão dados depois da recepção dos processos dos pré candidatos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: