EUA - Ao aproximar-se a quadra festiva, procurei trazer uma crónica que poderia ilustrar o que tem sido a qualidade de vida de muitos angolanos. Vamos sim falar sobre um cidadão gadareno nos dia de Jesus – que pode ser o reflexo de muitos angolanos na minha terra.

Fonte: Club-k.net

No tempo de Jesus, Gadara fazia parte de uma confederação de dez cidades (Damasco, Filadélfia, Rafana, Citópolis, Gadara, Hipos, Díom, Pela, Galasa (Gerasa) e Canata), chamada de Decápolis, que eram centros da cultura Helênica, povoadas por elementos de língua e cultura Grega, em meio a uma região de povos Semitas, os Judeus, Nabateus e Sírios. Os Gadarenos são um remanescente dos antigos Girgaseus (cidade dos gigantes Anaquins e Refains), por isso em alguns manuscritos do Evangelho de Mateus, Marcos e Lucas, encontramos o termo Gergesenos/Gerasenos. Os Girgaseus eram descendentes de Cão, filho de Noé, da parte de seu neto Canaã, conforme lemos em Gênesis 10:15-16.


Esta cidade, ficava a algumas hastes da costa, e uma imensa montanha se erguia diretamente acima dela, na qual existiam túmulos antigos. O lago estava tão perto da base da montanha, que os porcos, correndo loucamente por ela, não puderam parar, mas foram levados às pressas para a água e se afogaram. Um grande rebanho de suínos, vamos supor, estava se alimentando nessa montanha que se elevava acima dela. São imediatamente tomados por um pânico repentino, correm loucamente pela declividade quase perpendicular, os porcos que estão por trás tombando e empurrando adiante os que estavam antes; e, como não há tempo nem espaço para se recuperar na estreita prateleira entre a base e o lago, eles estão aglomerados de cabeça na água e perecem.


Seja como for, o distrito estava agradavelmente situado a leste e sudeste do mar da Galiléia, e as cidades de Gadara e Gergesa estavam florescendo. A primeira era muito maior e, de acordo com Josefo, era rica - ele diz: "Muitos dos cidadãos de Gadara eram homens ricos" - enquanto o de Gergesa era somente de considerável importância.

Um contraste triste com as cidades da minha terra. Luanda, Huambo, Benguela, Lubango, percorrendo estas cidades, podemos deixar de perceber e observar quanta miséria existe ao mesmo tempo e no mesmo lugar com riqueza material e prosperidade, e em meio a todas as belezas do cenário natural de Luanda, Benguela, Namibe, etc. Assim todo mundo em nossas cidades, em si é uma estranha mistura de misericórdia e ira; mistura de violência, drogas, fome e imoralidade, do belo e do terrível; da abundância e da pobreza; de tristeza e de alegria; do sol e do chuveiro, da agua pura e charcos, da energia e escuridão noturna, de alegria de ver os filhos crescendo e outros morrendo de paludismo.


Assim era também, no país dos Gadarenos, com seus ricos e prósperos habitantes, e seus lucrativos rebanhos de suínos, havia entre eles uma criatura miserável ​​em extrema miséria, mental e corporal. Enquanto outros compravam, vendiam e obtinham ganhos, essa criatura era um terror para si e para todos os lados. Enquanto outros ocupavam habitações confortáveis que nem hoje em Luanda nos condomínios em Talatona, esse infeliz vivia nas cavernas sepulcrais que abundavam nos arredores da cidade dos ricos.


Enquanto outros estavam vestidos decentemente, ou até vestidos maravilhosamente, como hoje se vê em Luanda e outras cidades, esse indivíduo miserável ​​recusava a decência do vestuário. Enquanto outros andavam à vontade, apreciando os doces da vida e a liberdade que torna a vida doce, esse demoníaco tinha que estar preso a correntes e grilhões. Quantos em nosso meio vivem hoje a semelhança deste Gadareno?


Na minha terra, hoje matar roubar e destruir tornou-se quase a norma. Mas na narrativa desta historia Bíblica, que segue um estilo próprio de narrar a vida de Jesus, com mais detalhes Mateus 8:28, relata que dois homens, os endemoniados Gadarenos, se aproximaram do Mestre, assim que Ele desceu do barco, às margens do lago de Tiberíades. Mateus conta que eram dois homens endemoniados. Apesar das diferenças nas narrativas dos Evangelhos, há também muitas similaridades nas três descrições registradas em Mateus, Marcos e Lucas. Nas três narrativas, podemos ver o diálogo que ocorreu entre Jesus e os espíritos malignos. Porém, cada um dos três evangelistas trouxe perspetivas únicas sobre essa incrível batalha.

1
Mateus relata que os espíritos impuros tornavam o endemoniado Gadareno extremamente antissocial. Isto é indicado pelo fato de que não vivia na cidade, mas em um túmulo (isto revela morte social);


Marcos enfatiza que este homem não podia ser contido, nem preso nem mesmo por correntes, pois ele as fazia em pedaços (revela roubo da sanidade);

O Dr. Lucas nos mostra que os demônios tornaram o Gadareno em um homem imoral. Ele não usava roupas, e estava nu por muito tempo (demostrando destruição da moral).


Essas três descrições, comumente identificáveis na nossa sociedade de hoje -- morte social, insanidade mental, e decadência moral -- nos remetem para as três desgraças que Angola enfrenta hoje, e são características das forças do mal em movimento. Quando olhamos para a história de Gadara, vemos como muitas vezes essa cidade foi invadida, pelos gregos e romanos, cidade capturada e conquistada. E as mazelas dessas guerras, certamente trouxeram consequências psicológicas e espirituais terríveis para a população local onde aconteceram estas batalhas.


A história de Angola nos passados 44 anos, sempre foi uma história de batalhas e vitorias. Por muitas décadas em Angola não havia direitos humanos, e durante a guerra civil, os homens da minha terra praticaram muitas maldades, que hoje devem ser classificadas como crimes de guerra. Mas a verdade porem é simples: isso era tudo que os “espíritos do mal” desejavam, para expor toda a sua maldade, seu caráter perverso e destruidor para a nossa amada Angola.


Após o milagre da cura, os demónios queria muito que entrassem nos porcos. A razão dessa escolha é que aqueles porcos ainda seriam oferecidos no templo pagão que existia naquela cidade. O povo sacrificava ao deus dionísio, o deus do vinho e da impureza sexual. Nesse culto, os habitantes de Gadara se embriagavam e tinham relações sexuais imorais, onde os espíritos impuros teriam nova oportunidade de capturar mais vidas. Por isso eles pedem para habitar nos porcos. Mas até mesmos os porcos tiveram mais “bom senso”, do que os homens daquela cidade, não permitindo ser habitação de demônios, mas se lançaram ao mar.Com a morte dos porcos, Jesus estava permitindo que o instrumento, ou ainda melhor, que a “oferta” usada nos sacrifícios pagãos e abomináveis, fosse destruída. Jesus expulsou assim os demônios, juntamente com os animais usados como ofertas, a esses mesmos espíritos imundos.


As cidades angolanas estão ainda caídas e capturadas, porque os próprios habitantes, sejam eles jovens velhos, pobres e ricos, negros, brancos, mulatos, ainda estão capturados, presos e acorrentados pelos demônios, que eles continuam a cultuar. Olhando ao redor, já não restam duvidas que quase que a grande maioria esta a viver como os gadarenos – tomados e capturados. Se assim não fosse, teríamos sim uma Angola mais equitativa, saudável e próspera.


Jesus mesmo, não podendo permanecer em Gadara, deixou ai um representante que daria o seu testemunho próprio, o primeiro missionário aos Gentios, constituído pelo próprio Senhor. Agora o Ex endemoniado gadareno poderia proclamar, que estava salvo. Em meio disso tudo, ainda fico imaginando uma Angola em que o esforço do Executivo e da Igreja triunfe e todos possam ser missionários do bem e gadarenos transformados. Se assim for, este poderia muito bem ser um Natal diferente para muitos em Angola.

Festas Felizes.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: