Luanda - "Chega, não contem mais comigo", desabafou o actual presidente da Federação Angolana de Andebol (FAAND), Pedro Godinho, momentos depois da selecção nacional sénior feminina alcançar a sua primeira vitória no Campeonato do Mundo, que decorre em Kumamoto, Japão.

Fonte: Angop

Na sua página do facebook, o dirigente federativo referiu que o combinado nacional só reagiu ao quinto dia, o que quer dizer que se chegasse mais cedo ao palco do evento os resultados seriam outros.



Insatisfeito com o fraco apoio obtido, sobretudo financeiro, para uma preparação exitosa, Godinho disse que tudo foi programado para que o sete nacional estivesse no Japão uma semana antes do início da prova, o que acontece apenas na véspera, por falta de verbas.


Informou que até Agosto deste ano a federação só viveu de patrocínios e que o valor guardado para o mundial tornou-se insuficiente, devido à depreciação da moeda nacional.


Em função desse constrangiemnto, faltavam mais 70 mil dólares americanos para que a caravana angolana seguisse a tempo do planeado.



“Choramos, lutamos, só não roubamos. Comparem o orçamento do CAN de futebol ao do Mundial de andebol”, lamentou, acrescentado que nenhuma selecção africana venceu uma congénere europeia com números expressivos.



Pedro Godinho reiterou a intenção de não mais se recandidatar para mais um mandato à frente do órgão reitor da modalidade no país.


Angola venceu hoje a Eslovénia, por 33-24, em jogo da terceira jornada do grupo A, depois de duas derrotas consecutivas, frente à Sérvia 25-32 e Holanda 28-35. Quinta-feira defronta a Noruega, às 12h30, para a quarta jornada.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: