Luanda - O Banco Atlântico anunciou nesta sexta-feira, as medidas conjuntas para apoiar os esforços do governo no combate ao COVID-19.


Fonte: Atlantico

De acordo com uma nota de imprensa enviada às redacções, o Banco diz que à semelhança do resto do mundo, em Angola tem sentido os efeitos da pandemia em duas grandes frentes, muitas vezes conflituantes: "na ameaça à saúde pública e ao bem-estar das populações e na crise económica de dimensão global, com consequências dramáticas para as famílias e os agentes económicos".



O documento acrescenta que a actual situação exige que todos os agentes económicos e sociais multipliquem os seus esforços e se empenhem determinadamente na superação desta crise. Assim, a sua contribuição, em articulação com a Comissão Interministerial de combate ao CoVid-19, "é fundamental para que os mecanismos de mitigação à ameaça sejam implementados com segurança e sustentabilidade, quer no imediato, quer de carácter estrutural", recorda


Entre as primeiras medidas, de acordo com o Presidente do Conselho de Administração, António Assis de Almeida, o Banco iniciou um investimento em material de biosegurança, que inclui a aquisição de equipamento médico e bens essenciais, a serem doados à Comissão Interministerial para a Prevenção e Combate ao CoVid-19. O referido equipamento incluirá testes, máscaras cirúrgicas, equipamento de protecção para as equipas clínicas e ventiladores, devendo ser privilegiados os produtos que maximizem a produção nacional.


Numa outra frente, e absolutamente convictos de que o impacto da crise sanitária na vida económica do país exige a criação de instrumentos financeiros que contribuam para minimizar esses mesmos impactos, o Banco Millennium Atlântico em colaboração com a Hemera Capital Partners e o DisruptionLab lançam um fundo de Investimento Social de Impacto e Transformação para Empreendedores.


O Fundo, de acordo com o que foi dado a conhecer, estará sob gestão da Hemera Capital Partners e destinar-se-á a apoiar pequenas e médias empresas com provas dadas na sua actividade, que atendam às actuais necessidades do mercado, nomeadamente nas áreas que foram mais gravemente afectadas pela pandemia do CoViD-19. As empresas beneficiárias do Fundo contarão ainda com o apoio do DisruptionLab em matérias de gestão e implementação de inovação.


"O Fundo terá uma dotação mínima de AKZ 3.075 milhões , resultantes de um firme compromisso de investimento assumido pelo Banco Millennium Atlântico. Para além do Banco, o Fundo procurará activamente outros subscritores, nacionais e internacionais, nas áreas de investimento social de impacto iniciará de imediato os processos de investimento, tão logo sejam cumpridos os trâmites legais de incorporação e sujeito à obtenção de todas as aprovações aplicáveis", conclui.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: