Lisboa - O Banco Nacional de Angola admite retirar a idoneidade ao ex-vice-presidente do BFA. Antigo presidente do Conselho de Administração Mário Leite Silva acusa o banqueiro de traição, avança o Expresso.

Fonte: ECO

O banqueiro António Domingues pode vir a perder a idoneidade em Angola devido a irregularidades no Banco de Fomento de Angola (BFA), segundo apurou o Expresso, que cita de fontes próximas do Banco Nacional de Angola. Em causa estão falhas no controlo de branqueamento de capitais ocorridas em 2017 e reportadas este ano.


De acordo com o semanário, antigo Presidente do Conselho de Administração do BFA Mário Leite Silva (que é também braço direito de Isabel dos Santos) acusa Domingues — que se demitiu no seguimento do caso — de ter tido conhecimento das falhas mais cedo e de as ter arquivado. Numa carta aos acionistas, o gestor acusou o então vice-presidente do banco de ter “traído” a instituição por ter tentado demarcar-se de um caso alegadamente arquivado sob sua própria iniciativa.

 

As irregularidades dizem respeito a um depósito de 21,8 milhões de kwanzas, no dia 20 de julho de 2017, assinado por uma estudante de 23 anos de Viana, e um outro depósito de 250 mil dólares, na conta de Manuel Paulo da Cunha (“Nito Cunha”), antigo diretor do gabinete do ex-presidente da República de Angola José Eduardo dos Santos, tendo ambos levantado suspeitas internas. A eventual retirada da idoneidade a António Domingues dependerá do desfecho da inspeção que está a ser conduzida pelo BNA.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: