Lisboa - No cargo desde Novembro de 2019, a nova Presidente do Conselho de Administração do Banco do Comércio e Industria (BCI), Zenaida Gertrudes dos Santos Ramos Zumbi, está assinalar os dez meses da sua nomeação com um escândalo por se ter concedido um crédito de AKZ 420 milhões, para comprar um imóvel. Fontes do banco alertam que a medida tomada pela também jurista viola a lei das instituições financeiras, que proíbe os membros do Conselho de Administração de bancos de se atribuir empréstimos para si e aos demais membros da sua família.


Fonte: Club-k.net

Conflitos de interesses no banco  BCI

No dia 28 de Janeiro de 2020, precisamente dois meses depois da sua nomeação, a nova PCA assinou com o BCI um “Contrato de Abertura de Crédito habitacional” para aquisição de uma casa, em Luanda, no valor de 320 milhões de kwanzas, “nos termos do n.º 3 do artigo 26.º do Regimento do Conselho de Administração do BCI”. O crédito, segundo o contrato, é para ser pago em 20 anos, ou seja, quando Zenaida Zumbi estiver com 62 anos de idade.

 

Quatro meses depois, Zenaida Zumbi entendeu que deveria fazer obras de reparo da mesma habitação. Isto é, aos 24 de Abril de 2020, a PCA do BCI escreveu para si mesma uma carta com o assunto "Incremento ao crédito habitação”, solicitando mais 100 milhões de kwanzas “face as alterações constantes do sector financeiro de modos a permitir a execução das obras de expansão ao imóvel”.

 

De acordo com advertências, a PCA do BCI terá violado a Lei n.º 12/2015, de 17 de Junho que proíbe membros de  Conselhos de Administração de bancos a concederem  créditos a si próprios.

Segundo a referida lei “as instituições financeiras não podem conceder crédito, sob qualquer forma ou modalidade, incluindo a prestação de garantias, quer directa ou indirectamente, aos membros dos órgãos de administração ou fiscalização equiparados, nem a sociedades ou outros entes colectivos por eles directa ou indirectamente dominados”.

 

Segundo explicações, o que a PCA deveria ter feito, para evitar estar em conflito com a lei, seria solicitar os créditos numa outra instituição bancaria. Segundo apurou o Club-K, o empréstimo bancário foi extensivo a todos os Membros do Conselho de Administração, tal como aquisição de viaturas de marca XC 90.

 

Jurista de formação, Zenaida Zumbi tornou-se aos 42 anos de idade a primeira PCA de um banco estatal em Angola. Trabalhou antes no Banco Prestige, de onde fora expulsa por alegadas irregularidades.


Por força da ministra das Finanças, Vera Esperança dos Santos Daves De Sousa, de quem é amiga de longa data, a mesma foi convidada para tirar o BCI da crise financeira a que se encontra. “Se o objectivo desde Conselho de Administração é salvar o banco e recuperar fundos perdidos para a sua subsequente privatização, como é que os seus administradores estão a se conceder créditos violando a lei?”, questionou uma fonte que acompanha o assunto.

 

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: