Luanda - Nós, proprietários do apartamento número 3, do prédio G27, da centralidade do Kilamba, decidimos fazer esta carta aberta à sociedade para prevenir que mais ninguém seja vítima desta forma de burla e também por razões de ordem moral.

Fonte: Club-k.net

Não se pode construir uma sociedade aonde as pessoas que se apresentam publicamente e são como referências para os nossos jovens, têm em privado comportamentos nada recomendáveis em questões tão básicas como o asseio, comportamento urbano e limpeza do ambiente caseiro.


Por razões pessoais, decidimos arrendar o nosso apartamento, e passada essa informação à agentes que fazem esse trabalho, é trazido até nós o senhor Unidade Sebastião da Silva Luvinda, também conhecido por Ny Silva, portador do BI número: 002819985NE031, que se apresenta como trabalhador da Zap e chefe de família, interessado em arrendar o referido apartamento, tendo sido efectivado o acordo contratual entre ambas as partes, com início à 01/04/2019.


O apartamento foi entregue em boas condições de higiene e limpeza, e com equipamentos funcionais e em óptimo estado de conservação, nomeadamente electrodomésticos na cozinha, máquina de lavar roupa na lavandaria, aparelhos de A/C nos quatro quartos e duas salas e completamente mobilado. As seguintes fotos certificam o estado em que foi alugado o apartamento ao senhor Ny Silva.


Por razões relacionadas com falta de pagamentos das rendas, no mês de Maio do corrente ano, vimo- nos forçados a dar ordem de despejo com os três meses de antecedência exigidos por lei, para a sua retirada no mês de Agosto de 2020.


Estão por pagar as rendas mensais que vão de Janeiro à Julho deste ano, bem como outras obrigações, tais como o condomínio mensal desde Julho de 2019 à Julho de 2020, assim como a factura de pagamento da água de Novembro de 2019 à Julho de 2020.


Este nível de incumprimento de alguém que se apresenta publicamente na mídia como um jovem empreendedor e bem sucedido, e que se pretende um exemplo para os nossos filhos, e nos entrega o apartamento num estado lastimável, leva- nos a fazer esta denúncia pública para que mais ninguém corra o risco de ver as suas expectativas financeiras frustradas e a sua propriedade " destruida" por esse senhor ou outrem.


Como se pode constatar das fotos , é o estado em que recebemos o nosso apartamento, após 15 meses de uso.


Foram já abertas nas instituições judiciais, os processos para que o referido senhor seja chamado a assumir as suas responsabilidades, quer das dívidas já referidas, quer dos prejuízos materiais causados.


Queremos deste modo alertar, para que tenhamos mais cuidado e não entreguemos os nossos pertences à quem quer que seja, confiando na sua palavra , pois o descuido na conservação do bem alheio, nos leva á avultados prejuízos financeiros e desgaste psico-emocional, para além da disponibilidade necessária de tempo para a resolução em foro judicial.


Luanda, 26 de Setembro de 2020.
Os proprietários.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: