Luanda - O ministro do Interior, Eugênio César Laborinho, tenciona propor ao Presidente da República, para os próximos dias, exonerações em massa no seu pelouro, a começar com o afastamento do actual Secretário de Estado do Interior, Comissário-Chefe, Salvador Rodrigues “Dodó”, que será substituído pelo antigo director Nacional do Serviço de Migração e Estrangeiros, António Paulino.

Fonte: Club-k.net

De acordo com as fontes, Eugênio Laborinho pretende também propor ao Comandante-em-Chefe a exoneração do 2º Comandante-Geral da Polícia Nacional, António Pedro Kandela, que poderá ser substituído pelo actual comandante provincial de Luanda, Eduardo Cerqueira.


Para chefiar Luanda, o actual ministro do Interior tenciona indicar o nome do Comandante de Cabinda, Comissário Eusébio Domingos.

Na sequência das mexidas, de acordo com os interlocutores, o ministro do Interior pretende propor para o cargo de Inspector-Geral da PN, o Comissário Gil Famoso, exonerado, em 2019, do cargo de director Nacional do Serviço de Migração e Estrangeiro, por alegada má-gestão .


Gil Famoso chegou a ser ouvido pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) e pela Inspecção do Ministerio do Interior, porém o assunto caíu em “saco roto”. “Não entendemos como é que uma pessoa que deixou os SME sem fundos, cometeu tantas falcatruas no órgão que dirigiu e recebe como prémio o cargo de Inspector-Geral da PN”, indagaram-se as fontes, que associam a nomeação do Comissário Gil Famoso, por alegadamente, ser afilhado do novo 2º Comandante-Geral da Polícia Nacional, o Comissário-Chefe, Ferreira”.

Nos Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, Eugênio Laborinho pretende exonerar o Comandante Nacional do órgão, Comissário Bombeiro, Bensau Mateus, há dois anos no cargo, para em seu lugar nomear o actual 2º comandante daquele órgão, José Caculo, que, por sinal, é sobrinho do ministro.


O titular do Interior também pretende exonerar o director do gabinete jurídico do ministério, António Furtunato, para em seu lugar nomear o comissário dos Bombeiros Henda Francisco, que, actualmente, é seu conselheiro .

Ainda no mesmo pelouro, o ministro tenciona exonerar o director do gabinete do Intercâmbio e Cooperação, José Dembi, para nomear o comissário Nascimento Cardoso, que foi director adjunto do SIC.

O chefe de informação e Análise, Abel Baptista, também vai ser exonerado e será substituído por Caetano Quiar.


O director Nacional dos Recursos Humanos do Ministério do Interior, Froz Manuel, será substituído pelo o actual Comandante Provincial da Polícia em Benguela, Aristófanes Vila Cardoso dos Santos, que, por sua vez, será substituido pelo 2º comandante provincial Ernestro Haiyamunhe.

No Centro de Integrado de Segurança Pública (CISP) também haverá movimentações, o Subcomissário Adulcínio Lutukuta será afastado do cargo de director interino, posto que ocupa há mais de um ano e será substituído pelo Superintendente-Chefe, Rui Bram, sobrinho de Eugénio Laborinho.

As fontes do Club-k entendem que, com as exonerações previstas, Eugênio Laborinho pretende ter o controlo de todas as operações de investimentos a nível do ministerio do Interior. “Se dependesse do ministro do Interior, o Comandante-Geral da PN, Paulo de Almeida, também seria afastado mesmo hoje”, confidenciaram as fontes, sublinhando que é intenção do governante compor um novo Comando Geral, afastando Paulo de Almeida, António Kandela e nos seus lugares colocar Ferreira Andrade como Comandante-Geral da PN, Eduardo Cerqueira e Eusébio Domingos, respectivamente, como segundos comandantes da PNA.

As fontes recordaram ainda que, Ferreira de Andrade responde a um processo crime na PGR, por má-gestão, enquanto Delegado do MININT e Comandante Provincial da Polícia Nacional no Cuando Cubando, onde o actual Comissário-Chefe, é acusado, igualmente, de desvio de meios do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, processo que se encontra arquivado na PGR à pedido de Eugênio Laborinho, ao Procurador-Geral da República Petra Groz.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: