Luanda - O Presidente da República de Angola, João Lourenço, exonerou esta quinta-feira três administradores executivos da petrolífera estatal Sonangol e um não-executivo, o ex-primeiro-ministro, Marcolino Moco, segundo uma nota da Casa Civil do Presidente.

Fonte: Lusa

Além de Marcolino Moco, nomeado em janeiro de 2018 por João Lourenço, estão de saída os administradores executivos Josina Baião, Luís Maria e Osvaldo Macaia.

 

Serão substituídos pelos administradores executivos Olga Lukocheka da Silva Sabalo Miranda, Kátia Mariana Siliveli Epalanga Lutucuta e Osvaldo Inácio, e pela administradora não-executiva Bernarda Gonçalves Martins.


A administração da Sonangol é presidida por Sebastião Gaspar Martins e conta com seis administradores executivos e quatro não-executivos, incluindo os antigos primeiros-ministros Lopo do Nascimento e Marcolino Moco.

 

Na altura em que os dois ex-governantes foram nomeados para administradores da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), João Lourenço justificou a decisão por serem uma "referência" no país.

 

Não foram apresentados motivos para as alterações na administração da petrolífera.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: