Luanda – Uma dirigente do BP do MPLA, Maricel Marinho da Silva Capama apresentou recentemente ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) uma participação pelo crime de calúnia e difamação contra o responsável da mobilização da UNITA de Luanda, Alexandre Dias dos Santos, também conhecido por “Libertador”.

Fonte: Club-k.net

DIRIGENTE DA UNITA E  DO MPLA TROCAM ACUSAÇÕES DE FORUM PACIONAL 

Sob o processo 3166/20-OP, o político Alexadre “Libertador” foi ouvido na manha desta quinta-feira (1) pelo investigador do SIC, Paulo Gonçalves, numa audiência descrita como tendo “corrido bem”.

 

Maricel Capama que é igualmente comentarista do programa “Política do Femenino” da TPA terá há poucas semanas, feito criticas de caráter pessoal contra o líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior. Em reação, Alexandre Dias dos Santos, “Libertador” insurgiu-se contra Maricel Capama – num comício partidário - dizendo que Maricel não tinha moral de atacar o presidente do “Galo Negro”, por ser uma “Gatuna de marido”.

 

Em reação, Domingos Nilton César Capama, o esposa de Mariciel Capama acusou “Libertador” de “um claro aproveitamento político e desonesto, confirmando um autentico desespero dos mesmos com base em fundamentos supérfluos e infundados”, adiantando que as informações avançadas pelo politico da UNITA são falsas.

 

“Quero por via desta nota de esclarecimento , comunicar aos angolanos que a informação posta a circular sobre a minha Esposa Maricel Capama não é real e dela me demarco na sua plenitude, condenando-a energicamente”, disse o também director provincial da Juventude e Desportos no Bié, alertando aos angolanos “dentro e fora do País a não consumirem tal matéria, visto que, quando juntei-me a minha esposa eu era solteiro e sem compromisso com uma mulher na Província do BIÉ e nunca fui casado e de tudo faremos para que o seu actor seja responsabilizado civil e criminalmente.”

 

Segundo apurou o Club-K, o político da UNITA, Alexandre Dias dos Santos, terá feito as suas declarações baseando-se num episodio ocorrido em Agosto de 2018, em que Maricel Marinho da Silva Capama, ao tempo vice-governadora provincial do Huambo para o sector Político, Social e Económico, foi vitima de violência domestica no seguimento de uma desavença conjugal que resultou na alteração áspera do esposo, Domingos Nilton César Capama. Como resultado da agressão, Maricel apresenta até aos dias de hoje um sinal no rosto (testa) que geralmente cobre quando esta no programa de televisão.

 

As má línguas na província do Huambo, insinuavam que a agressão foi impulsionada por motivações passional agravadas com acusações que feriam a honra do esposo.

 

Na altura foi noticiado que a então vice-governadora teria inicialmente movido contactos para avançar com uma participação criminal contra o esposo mas acabou por desistir por medo que o assunto fosse objecto de aproveitamento político por parte de alegados adversários a sua acessão politica.

 

Quando estava a trabalhar no Huambo, Maricel Marinho da Silva Capama, na qualidade de a antiga vice-governadora, tinha se tornado numa figura bastante contestada criando constrangimento ao então governador João Batista Kussumua, seu padrinho de casamento e protector político. O constrangimento foi se agravando no inicio de 2018, quando a então vice-governadora provincial do Huambo, foi travada numa operação que visava tomar partido de 50 milhões de kwanzas dos cofres de Estado para a reabilitação do muro do Hospital Central do Huambo, invocado como não tendo merecido reparo desde a época colonial.

 

Tema relacionado

Vice-governadora Maricel Capama agredida pelo esposo

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: