Lisboa – A UNITA foi alertada a semana passada que um dos seus membros afecto ao Comitê Provincial de Luanda, Kawiki Sampaio da Costa teria mantido encontros com alegados membros da secreta angolana para a realização de uma conferência de imprensa em que acusaria a liderança de Adalberto Costa Júnior de alegado “tribalismo”.

Fonte: Club-k.net

FOI ORIENTADO A ATACAR A LIDERANÇA DO PARTIDO 

Na quinta-feira (25) da semana passada, segundo apurou o Club-K, o Secretario Provincial da UNITA, Manuel da Costa Ekuikui “Nelito”, manteve um encontro com o referido desertor onde lhe foi transmitido que o partido acabava de ser alertado de que manteve contatos com o regime na qual lhe foi solicitado a fazer uma conferencia de imprensa para “atacar” o Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior simulando a existência de crise no maior partido da oposição.

 

Kawiki Sampaio da Costa, que se ocupava pela pasta da mobilização da UNITA em Luanda, já andava a ser vigiado alguns meses pelo seu partido depois de terem sido alertado de que era um agente treinado pelo regime para se infiltrar na oposição.

 

De acordo com um levantamento, Kawiki Sampaio da Costa começou a sua carreira política no MPLA, onde exerceu funções de diretor de Gabinete do antigo Secretário Nacional da JMPLA para Informação, na altura em que está organização era chefiada por Paulo Pombo. Ao cessar funções, na JMPLA, o mesmo foi transferido para o Comitê Municipal do MPLA no Cazenga onde exerceu o cargo de Secretário para a Acção Política.

 

Ao “cessar” funções no MPLA, Kawiki Sampaio da Costa transferiu-se para o PRS onde ao tempo de Eduardo Kwangana, ocupou a pasta de Secretário Nacional Para Implantação das Infras Estruturas. Teve passagem pelo extinto Partido Democrático de Angola (PDA), do acadêmico Alberto Neto, onde lhe foi dada a Vice-presidência.

 

Kawiki Sampaio da Costa saiu do PDA e mudou-se para a CASA-CE, ao tempo de Abel Chivukuvuku, tendo liderado a coligação no município do Cacuaco, e pouco tempo depois ascendeu como segunda figura da Juventude desta congregação política.

 

A sua saída da CASA-CE foi registrada por polêmicas e ausência de falta de consideração, levando a fazer uma conferencia de impressa atacando a liderança de Abel Chivukuvuku. Sem partido, Kawiki da Costa aderiu ao Comitê da UNITA no Cacuaco para mais tarde ser promovido a Secretário provincial da UNITA em Luanda Para Mobilização Urbana.

 

Quando foi nomeado pela UNITA, algumas entidades teriam alertado a direção deste partido de que, Kawiki Sampaio da Costa, era um agente do regime infiltrado nos partidos políticos da oposição em Angola. São desconhecidas as contrapartidas que terá eventualmente recebido pelo regime em troca das suas declarações contra a liderança do partido.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: