Luanda – A Polícia Nacional, através do Departamento de Investigação a Ilícitos Penais, deteve este fim-de-semana dois cidadãos nacionais, um dos quais efectivo do Serviço de Protecção Civil e Bombeiro, que se dedicavam, em Luanda, à comercialização da vacina AstraZeneca, da Covid-19, ao preço de 10 mil kwanzas.

Fonte: NJ
Os indivíduos dedicavam-se a facilitar o acesso dos "clientes" à vacinação porque estes não constavam da lista de prioridades do plano nacional de vacinação do Ministério da Saúde.

O inspector chefe Nestor Goubel, porta-voz do comando provincial da Polícia Nacional em Luanda, disse ao Novo Jornal que os dois detidos confessaram o crime e que serão entregues ao Ministério Público para os responsabilizar criminalmente.

Segundo Nestor Goubel, os indivíduos detidos são um efectivo dos bombeiros e um cidadão voluntário que trabalhavam no sector de vacinação no Complexo Turístico "Paz Flor", em Talatona.

"Eles estão ligados a uma rede, por onde recebiam, mas há já um trabalho de investigação em curso. Eles foram encontrados em flagrante com três cartões de vacinação que comercializavam ao preço de cinco mil kwanzas", contou Nestor Goubel.

Este é o primeiro caso em Angola em que as autoridades reportam que detiveram cidadãos a comercializar a vacina da Covid-19.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: