Luanda - Caso envolve uma bebida a qual foi dado o nome de "caipirinha do azar", uma mistura de bebidas, nomeadamente "água do chefe", capassarinho, e combustível JET A1, para aviões.

Fonte: Lusa

Pode guardar artigos para ler mais tarde, também em modo off-line. Se estiver registado, pode também consultar o seu histórico de leituras.

 

A ingestão de uma bebida caseira estará na origem da morte de pelo menos dez pessoas no município de Viana, arredores da província de Luanda, capital de Angola, informou esta segunda-feira o Serviço de Investigação Criminal (SIC).


Em declarações à Lusa, o porta-voz do comando de Luanda do SIC, Fernando de Carvalho, explicou que os investigadores se deslocaram ao hospital para onde foram levados alguns dos consumidores desta bebida, para apurar o que se passou.

O caso ocorrido no bairro da Caop, em Viana, segundo noticiou este dia a rádio pública angolana, envolve uma bebida a qual foi dado o nome de “caipirinha do azar”, uma mistura de bebidas, nomeadamente “água do chefe” [bebida artesanal destilada, composta por açúcar e fermento], capassarinho [um fruto com efeito alucinogénio] e combustível JET A1, para aviões.

Segundo o coordenador da Comissão de Moradores, António Costa, a bebida provoca como sintomas dor de cabeça, do corpo, enjoos, mal-estar geral, dificuldades para andar, além da perda de visão.

“Há outras pessoas no setor 12, mas não conseguimos chegar lá, a informação que nos passaram é que consumiram uma bebida, a qual chamam água do chefe, que misturada com JET e outros produtos que não conseguimos identificar, mas dizem ser uns botões que vêm de uma lavra, que fizeram a mistura dessa bebida, e bastando a sua ingestão dá problema de coluna e outros sintomas”, explicou António Costa.

De acordo com o responsável da comissão de moradores, foi dado apoio às famílias, no sentido de apanharem táxi e levar os afetados ao Hospital Josina Machel. “O estado é crítico”, referiu.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: