Lisboa – O Serviço de Investigação Criminal na província de Malange, ordenou na passada quarta-feira (9), a detenção de um médico de nacionalidade russa, por entender que este não marcou a consulta para uma pessoa “influente do regime” em conformidade com a vontade do mesmo.

Fonte: Club-k.net

O médico especialista em dermatologia pertence a missão russa médica (MRM) estando ao Serviço do Hospital Geral de Malanje. Sendo um médico de especialidade, o procedimento das suas consultas é por marcação antecipada ou feitas dias antes.

Segundo apurou o Club-K, alguma entidade dirigiu-se ao hospital – sem marcação - para ser atendido no mesmo dia (segunda-feira, 7) e posto ao local foi-lhe explicado que as consultas eram por marcação antecipada tendo sido proposto que aparecesse no dia seguinte. Inconformado com a segunda opção, a “pessoa influente” recorreu ao SIC alegando que lhe foi “recusado e insultado” no consultório médico resultando na abertura de uma queixa crime.

Em plena manha de quarta-feira (9), o médico russo identificado por “Dr Davlatbek” foi surpreendido no hospital por elementos do SIC que o levaram para um interrogatório de 30 minutos e depois sido liberado. Neste mesmo dia, o consultório do dermatologista teve de suspender todas consultas previamente agendadas para aquele dia devido ao incidente.

Nesta sexta-feira (11), a Missão Médica Russa em Angola (MMR) enviou uma nota ao governador provincial, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa” protestando a conduta dos agentes do ministério do interior de quebra de protocolo levando médico, em pleno serviço para interrogatório sem uma razão plausível. A MMR pediu ao governador para por fim a estes actos dos agentes do SIC e Polícia Nacional que considera “abuso de poder”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: