Lisboa - O que se está a passar com os veículos de conteúdos e outros meios de comunicação suspensos e/ou encerrados por força da mudança da legislação proposta pelo partido MPLA e seu governo, com o respaldo da maioria qualificada no parlamento conseguida sabe-se lá como, é deveras lamentável num país onde o governo havia prometido promover 500 mil empregos em 2017.

Fonte: Club-k.net

Nós fizemos a nossa parte como investidores, empregadores e empresários lançando em 2018 q Vida TV em cumprimento de toda a Legislação vigente àquela época, mesmo após à incompreensível rescisão unilateral e sem aviso prévio pelo Presidente da República, de um contrato LEGAL e à época ainda válido por mais 2 anos, entre uma das nossas empresas e a TPA e a suspensão dos serviços que a nossa empresa prestava com toda a qualidade e rigor ao canal público de televisão TPA2.

 

Com boicotes e perseguição financeira por parte do próprio Estado, ninguém pode continuar trabalhar.

 

Foi mudada a lei propositadamente para obrigar todos os que quiserem emitir em televisão passarem a ter que pagar aproximadamente 1 milhão de USD, porém as leis e decretos não deviam ser retroactivos e deviam ser respeitados os direitos adquirido de quem já estava a operar à luz das regras aquando do início da sua emissão, o que não ocorreu.

 

Como empresária e investidora estou à procura de oportunidades noutros países e busco poder trabalhar e investir noutros mercados, onde o meu esforço e talento tenham espaço e o devido reconhecimento reconhecimento de quem mais beneficia: o Estado.

Welwitschea dos Santos “Tchizé”

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: