Lisboa – A “DIPANDA JOGOS, LIMITADA”, uma empresa controlada pelo antigo Juiz do Tribunal Constitucional Rui Constantino da Cruz Ferreira e a antigo governador de Luanda, general Francisco Higino Lopes Carneiro (5%) está entre as cinco finalistas que participaram no concurso Internacional para a Concessão Exclusiva de Exploração dos Jogos Sociais realizado pelo ministério das finanças de Angola, nos termos da Lei n.º 5/16, de 17 de Maio.

Fonte: Club-k.net

De acordo com documentos em posse do Club-K, a “DIPANDA JOGOS, LIMITADA” foi oficialmente legalizada em Novembro de 2020. Apesar de Rui Ferreira controlar 95% das ações e Higino Carneiro a outra parte, as referidas entidades colocaram a frente da empresa, uma irmã do primeiro, que atende pelo nome de Fernanda Ferreira Bravo. A gestão da empresa foi confiada a uma filha daquela, Elizangela Filomena Ferreira Bravo Sequeira.

 

Segundo os  requisitos, os concorrentes devem fazer prova de  capacidade financeira do  equivalente a 30 milhões de dólares. Segundo apurou o Club-K, a DIPANDA JOGOS, LIMITADA, terá apresentado como garantia da sua capacidade financeira, o “Colégio Elizangela Filomena”, pertencente a irmã de Rui Ferreira.

 

O vencedor do concurso deverá ser anunciado em breve mas desde já fontes que acompanham o assunto estimam dois prováveis cenários Que o ministério das finanças declare como vencedor a empresa ANGOLLOT, que é uma participada do braço empresarial do MPLA, ou um acerto em formato de “acerto” aliança entre a mesma e a concorrente portuguesa “Santa Casa da misericórdia de Lisboa”.

 

Em Portugal, a “Santa Casa da misericórdia de Lisboa” tem de lucros cerca de 3 bilhões de euros por ano. Para a futura indústria angolana há estimativa que numa primeira fase, a empresa vencedora possa render 300 milhões por ano, excluindo os 60% do valor bruto que será revertido para o Estado angolano, conforme manda a lei.

 
Tema relacionado

Ministra angolana suspeita de favorecer empresa do MPLA

Empresa do MPLA no negócio da gestão do AngoSat



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: