Luanda - Kawikh Sampaio da Costa, antigo militante do partido UNITA, disse ontem, 04 de Agosto ao Factos Diários que o Golo Negro está criar estratégias para elimina-lo fisicamente tendo em conta as acusações que proferiu antes e depois de se ter desvinculado.

*Isidro Kangandjo
Font: Factos Diários

Segundo o político, o caso já se encontra Junto do Ministério Público e está a seguir os seus tramites legais, questionado os nomes dos elementos por trás da possível tentativa de assassinato, Kawikh preferiu não avançar uma vez que, segundo conta, “está em segredo de justiça por isso, não posso avançar os nomes, porém estão todos identificados. Estruturaram uma ideia para me liminar fisicamente, isso pode acontecer hoje, amanhã ou depois de amanhã. Estruturaram isso para depois vir dizer que foi o MPLA que fez isso”.

Há três semanas, a UNITA recuperou 22 milhões kwanzas que teria como destino corromper militantes do seu partido, durante a conferencia de imprensa, Nelito da Costa Ekwikwi, Secretário Provincial da UNITA em Luanda, confirmou que os valores foram entregues por Kawikh Sampaio da Costa amando de Bento Bento no número 01 do MPLA no coração de Angola, Luanda.


Questionado sobre o assunto, Kawikh negou as acusações e acrescenta que “a UNITA é matreiro em criar factos e se vitimar para depois sair em gloria. Quero dizer que eu não entreguei esses 22 milhões de kwanzas. Esse valor pertence à UNITA, se me pertencesse porque até agora esse dinheiro não é apresentado a um órgão de justiça? A UNITA deve fazer queixa-crime para se apurar quem terá entregado esses valores.


Kawikh Sampaio da Costa, negou ser um dos subscritores da carta de impugnação do XIII Congresso que deu a vitória ao Adalberto Costa Júnior, por razões do mesmo não ser indicado como delegado, mas reconheceu que foi o principal mobilizador dos subscritores para a impugnação do Congresso.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: