Washington - O Presidente João Lourenço presidiu ontem à assinatura de um memorando de entendimento entre o governo angolano e a companhia americana Sun Africa que se vai envolver em planos de electrificação nomeadamente nas províncias do Namibe, Cuando Cubango, Huíla e Cunene.

Fonte: VOA

O memorando foi assinado no final de uma mesa redonda entre a delegação angolana e empresários americanos organizada pela Câmara do Comércio dos Estados Unidos, grande parte da qual decorreu à porta fechada para, nas palavras de um dos organizadores, “permitir uma troca franca de informações e opiniões”.

O presidente João Lourenço não assistiu ao encontro mas deslocou-se no final do mesmo à sala para presidir à assinatura do memorando que foi rubricado pelo ministro da Energia e Águas João Baptista Borges.

“Vamos tratar de electrificar todas as sedes municipais e também as principais comunas”, disse após a assinatura do memorando o ministro angolano que acrescentou que “a electrificação vai ser feita com base em soluções de energia renovável não convencional como é o caso da energia solar como se está já fazer na província de Benguela”.


“O plano prevê também a construção de sistemas de transporte de energia e a construção de sub-estações,” disse João Baptista Borges para quem a energia solar ‘é uma das grandes soluções para as zonas mais distantes do país.

A companhia akericana vai “mobilizar recursos financeiros junto do Exim Bank dos Estados Unidos ( o banco de apoio às exportações) para financiar este pacote importante do projecto”, disse o ministro angolano para quem “isto é também reflexo da importância que os Estados Unidos dão à cooperação com Angola e da credibilidade do nosso país junto das instituições financeiras americanas”.

O memorando de entendimento inclui também inclui a construção sistema de abastecimento de água.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: