Luanda - A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola arrecadou mais de 250 mil cestas básicas, em Luanda, que vão ser doados no sábado, 25, às famílias que passam fome em muitos bairros da capital do país.

Fonte: Club-K.net

De acordo com o líder da IURD “ala” brasileira, bispo Alberto Segunda, a campanha solidária denominada “Setembro sem fome” levada a cabo em todo o país, visa minimizar a carência de vida agravada, nos últimos dias, pela pandemia da Covid-19.



O bispo Alberto Segunda assegurou que, a acção de “amor ao próximo” vai beneficiar pelo menos um milhão e duzentos e cinquenta mil pessoas vulneráveis, que vivem em zonas como “Bairro da Lixeira” (Distrito Urbano do Nova Vida), Comuna do Calumbo, “Povoação de Camizumba”, (Distrito Urbano do Bela Vista), Casa da Juventude e Mbonde Chapé e nas demais províncias do país.

Falando à imprensa durante o lançamento da campanha “Setembro sem fome”, o responsável da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, disse que a sua congregação religiosa “é uma instituição, cujo fim último é pregação do evangelho, levando as pessoas ao encontro de Deus na vertente espiritual”.

De acordo com o bispo, após o impacto da pandemia da Covid-19, em Angola com destaque essencialmente as famílias, o vírus da SARS COV-2 provocou milhares de desempregos, fraco poder de compra das famílias e fome extrema nas comunidades.

Para Alberto Segunda, diante do impacto negativo da pandemia que assola o mundo, “o Governo angolano por si só encontra sempre dificuldades de vária ordem”, e que, disse, “apesar dos templos da Igreja Universal do Reino de Deus estarem temporariamente encerradas, demonstra ser parceira do Estado e está comprometida com as causas sociais”.

“Foi neste âmbito e movidos pelo espírito solidário, que a direcção da IURD lançou o apelo aos seus pastores, obreiros, jovens, membros, amigos, simpatizantes e toda população em geral, a abraçar a causa da recolha de alimentos não perecíveis para realização da meiga campanha de doações de alimentos, denominada Setembro sem fome”, sustentou.

O bispo da IURD em Angola fez saber que, se não fosse o encerramento dos templos, a Igreja Universal do Reino de Deus teria maior possibilidade de recolher maior número de doações.

Lembrou que o evento decorre numa altura em que os templos da sua confissão religiosa estão encerrados em todo o país, devido a um processo judicial que corre trâmites no Tribunal Provincial de Luanda, “senão, de certeza alcançaríamos maior número de pessoas e famílias do que o prognosticado na presente campanha”, frisou.

A igreja Universal do Reino de Deus (IURD), “ala” brasileira controla cerca de 500 mil fiéis e para esta “empreitada”, a liderança conta com a participação de mais de 300 mil membros, que voluntariamente doaram bens alimentares não perecíveis com vista a acudir à fome que assola milhares de famílias, em Luanda.

A direcção da IURD assegura que, a semelhança da capital, as demais províncias do país estão igualmente mobilizadas para a arrecadação e distribuição de mantimento para as famílias que passam por extremas necessidades.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: