Lisboa – Está em curso em meios de ONG americanas baseadas em Washington, a calendarização de uma conferência pan-africana, prevista para ainda este ano, na qual os seus promotores tencionam formular convite ao líder deposto da UNITA, Adalberto Costa Júnior para apresentar o ponto de vista do seu partido sobre a democracia em Angola. O convite é extensivo a dois outros elementos (Abel Chivukuvuku e Filomeno Vieira Lopes) que integram a  recém constituída Frente Patriótica de Angola (FPA).

Fonte: Club-k.net

De acordo com fontes que acompanham os preparativos da iniciativa, caso o alto responsável da UNITA, e os seus colegas da FPA correspondem ao convite, os mesmos deverão ser recebidos no subcomitê para os assuntos políticos, para abordagem com congressistas deste país.

 

A inclusão do nome de políticos da oposição angolana, está a ser vista, como uma irritação de “lobbistas” americanos ao regime do MPLA que recentemente gastaram “milhões” de dólares para um encontros não concretizado com Joe Biden, o inquilino da Casa Branca.

 

Enquanto isso, a  edição 708,  desta semana do Novo Jornal, indica que os três políticos serão recebidos pela embaixadora dos EUA em Luanda, para abordagem respeitante a tensão pré-eleitoral no país.

 

Durante o período da guerra civil em Angola, os EUA foram um dos principais financiadores da guerrilha da UNITA, apoio este que cessou pouco antes do estabelecimento das relações diplomáticas entre Washington e Luanda. O líder fundador da UNITA, chegou a ser recebido em duas ocasiões diferentes na sala oval da Casa Branca, recorrendo aos préstimos de um consultor Paul Manafort, que foi o “marketeiro” da campanha de Donald Trump.

 

Com o fim do conflito armado, o sucessor de Savimbi, Isaías Samakuva por varias vezes Washington sendo recebido por destacados funcionários da Casa Branca e do Departamento de Estado informando-os do ponto da vista da UNITA sobre a situação em Angola.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: