Luanda - Nos primeiros anos do seu consulado presidencial, José Eduardo dos Santos, teve a sua saúde aos cuidados de um médico cirurgião angolano, Fernando Octavio, formado na suíça e que integrou a equipa médica do falecido Presidente Antônio Agostinho Neto, de quem era ligado desde o tempo do exilio. Com a saída de Fernando Octavio, o responsável pela equipa médica de JES, passou a ser um médico cubano Ricardo Octávio Mazón “Dr Masson”, que seria mais tarde substituído por um “adjunto” Yamba Garcia, um cirurgião, nascido no Uíge.

Fonte: Club-k.net

Inicialmente Eduardo dos Santos fazia a sua revisão médica na cidade de Nice, França e depois mudou-se para o Rio de Janeiro, Hospital Bom Samaritano. Em 2006, transpiraram para fora, informações delicadas acerca de preparativos de uma tomografia em que JES reagiu mal ao contraste de iodo, no Brasil, tendo desmaiado.


Conta-se que os médicos brasileiros tiveram dificuldades de o reanimar. Por coincidência um angolano João Afonso, que estava a fazer uma especialidade em cuidados intensivos neste mesmo hospital, terá feito parte como interno de especialidade da equipa e ajudou a reanimar o Presidente. JES ficou-lhe grato mas nunca mais recorreu aos brasileiros para revisão médica. Virou-se para a clínica “Teknon Medical Center”, em Barcelona.


Logo a seguir, A Presidência da República, requisitou ao Hospital Militar de Luanda, um médico intensistiva para chefiar a equipa médica do antigo PR. A direcção do Hospital enviou dois nomes, para substituição de Yamba Garcia: José Afonso e João Afonso. A escolha estava determina. O médico militar formado na Bielorrússia. O mesmo que ajudou salvar JES no Brasil, de seu nome: João Abraão da Conceição Afonso.


JES nunca mais ficou distante deste médico. Em 2014, promoveu-o a brigadeiro. Dois meses antes de deixar o poder, o então Presidente, nomeou-o administrador não executivo da Clinica multiperfil, cargo que ocupou apenas por dois anos depois de exonerado por JL. Nos últimos três anos, o brigadeiro João Afonso, transferiu-se para Barcelona acompanhando de perto o Estado de saúde do homem que ajudou a reanimar do desmaio de há 16 anos, no Brasil.


José Gama

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: