Lisboa – Durante o período em que esteve em Angola, José Eduardo dos Santos convocou a sua companheira Maria Luísa Abrantes (Milucha), para lhe passar uma procuração para que esta ficasse com uma extensa fazenda que o mesmo detém na província do Cuanza-Sul.

Fonte: Club-k.net

A referida fazenda andou sob tutela do general Higino Lopes Carneiro, durante muitos anos, mas só agora é que o antigo Presidente de Angola, Eduardo dos Santos decidiu retirar-lhe das mãos. JES teria inicialmente chamado Higino Carneiro em sua casa no miramar, em Luanda, para lhe dar conta que iria lhe receber a gestão da propriedade, mas este por alegada indisponibilidade não compareceu, as convocatórias do seu antigo líder. Logo a seguir, Santos chamou Maria Luísa Abrantes com quem se reuniu cerca de cinco vezes dando instruções.

 

Durante os encontros com Maria Luísa Abrantes, o antigo Presidente, tomou a decisão de a constituir como sua representante legal, e de seguida passou-lhe uma outra procuração para que ficasse com a propriedade e a sua respectiva gestão com efeitos imediatos, e na ausência de ambos, a fazenda passaria para a tutela de dois filhos (Tchizé e José Paulino dos Santos) que tem em comum.

 

Não há conhecimento que tenha dado instruções que indicasse transferência para a antiga primeira Dama, Ana Paula dos Santos, que o abandonou depois de deixar o poder e que agora reatou o seu lugar de esposa, assim que tomou conhecimento que o seu estado de saúde se encontrava a degradar, em Barcelona. Quando esteve em Luanda, recusou receber Ana Paula dos Santos na sua residência privada.

 

Para além da fazenda no Cuanza Sul, JES tem em seu nome uma residência no Bairro Alvalade, que recebeu do “partido”, quando regressou do exílio em 1974, onde viveu com a mãe da sua primogênita Isabel dos Santos. Tem a residência do Morro da Luz (que terá também passado para Maria Luísa Abrantes “Milucha”), a mansão do Miramar, e uma Quinta na Funda, arredores de Luanda. Nos corredores da política angolana, segundo apurou o Club-K, sempre se alegou que tem bens ou participações em nome de alegados “testa de ferro”, como Leopoldino Fragoso do Nascimento, Desiderio Veríssimo da Costa, José Carlos de Castro Paiva (acções no banco BAI) e outros desconhecidos. Nenhum dos visados nunca contestou publicamente tais imputações.

 

JES encontra internado em Barcelona depois de na semana passada ter tido uma paragem respiratória que se acredita ter sido em consequência de esforços e de uma infeção mal curada nos rins. No passado, as autoridades angolanas fizeram uma carta em seu nome, autorizando o seu médico pessoal, Brigadeiro João Afonso como sendo o único que pode dar esclarecimento do  seu estado de saúde. Nos últimos dias, o médico foi contacto por jornalistas em Barcelona mas recusa-se a prestar declarações do sobre o Estado de saúde de Eduardo dos Santos, sem o consentimento da Presidência da República.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: