Lisboa - Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos, acusa os médicos de estarem a negligenciar o pai de forma “propositada” com o objetivo de “antecipar a sua morte”. Afirma ainda que estão a “inventar dados” e mantêm o o antigo Presidente “sequestrado”. José Eduardo dos Santos está em coma numa clínica em Barcelona depois de ter sofrido uma queda.

Fonte: SIC Notícias

“O meu pai tem sido vítima de negligência propositada com o fim de antecipar a sua morte. Eu tentei colocar um enfermeiro em casa 24/24 horas e fui impedida. Os médicos alegavam que lhes eram anuladas consultas”, conta Tchizé dos Santos num texto enviado à SIC. “Tentamos internar o meu pai devido ao baixo peso em finais de abril e não nos deixaram. O meu pai está sequestrado e os filhos impedidos de lhe prestar a assistência médica que gostaríamos.”


Na mensagem, afirma ainda que se José Eduardo dos Santos “tivesse um enfermeiro ao lado não tinham demorado 15 minutos a telefonar para a linha de emergência a pedir socorro” e que o pai tinha não tinha covid-19, mas sim uma “infeção pulmonar há muito tempo não tratada que culminou na falta de ar”. Segundo a filha do ex-Presidente angolano, foi a falta de ar que terá levado a uma paragem cardíaca que culminou na queda.

 

“Claramente está lá para o matar por omissão”, remata Tchizé dos Santos.


Momentos antes, Tchizé tinha também garantido que “não vai permitir que desliguem as máquinas” a José Eduardo dos Santos, acusando o atual chefe do executivo, João Lourenço, de estar a fazer uma gestão política do caso.

 

Num áudio que está a circular nas redes sociais, sob a forma de recado “para quem anda a fazer os preparativos para o funeral do presidente emérito do MPLA”, Tchizé dos Santos afirma que José Eduardo dos Santos “está vivo”, com “todos os órgãos a funcionar” e o seu estado de saúde é estável.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: