Luanda - Sabedoria popular: “Vo-muku omongwa wange ñguãy-mo”. Eu, rato não como, se você me estiver a ver comendo rato é porque investi lá o meu sal. Não é o rato em si mas sim o meu sal...não pode se perder!

Fonte: Club-k.net


Havia, em Africa mais propriamente na Líbia, um ditador chamado Muammar al Kadhafi; governou com a mão de ferro a líbia por duros 42 anos, depois de protagonizar um golpe de Estado quando tinha 27 anos de idade. Era excêntrico quer dizer esquisito: uma de suas mais anomalias pessoais era o Presidente conhecido por estar sempre ladeado de mulheres.

 

Os seus guarda-costas eram um batalhão de moças perdidamente lindas, eram elas que acompanhavam o Presidente nas suas deslocações e mantinham a segurança pessoal, do Coronel al Kadhaffi. Já eram muito lindas, mas naquela farda de camaleão, apertando aquelas almofadas de coxas e pernas torneadas nas academias militares, elas dotadas de olhos brancos e grandes, tipo amêndoas, peitudas e cinturas finas que esculpiam ainda mais aqueles carnudos traseiros; com pescoços compridos e olhar altivo, não havia mais beleza neste mundo para comparar: “toda a beleza da Leila Lopes, nossa ex-miss universo, as guarda-costas do Kadhaffi carregavam sozinhas (lol)”! Aquelas beldades mesmo que Khadaffi as disponibilizasse para participar do concurso de beleza de nível mundial arrecadariam o troféu. Mas elas eram muitas e lindas e o troféu é apenas 1. Haveria injustiça de excluir um bom número daquelas belezas inimitáveis, digo que aquelas maravilhas nas espécies de mulheres a sério escondiam a Beleza de Deus, “o Belo Incriado”. Para além daqueles ombros que sustentavam as omoplatas petulantes, cujos longos cabelos naturais ou comprados ondulavam como oceano de trigo, as clavículas salientes como ripas das casas de pau-a-pique; aquelas meninas do Coronel Muammar al Kadhaffi, ditador de mil raios, ninguém as questionava o que estudaram, onde estudaram, as suas pautas em que foram distintas e no que mais elas se destacavam. A beleza física delas desafiava a razão de questionar....fica só já assim!

 

No Governo do Presidente João Lourenço, tem uma tia, cheia de sorte que quase caiu de paraqueda directamente para Vice-Presidência da República. Quer dizer de soldado para general é uma viagem e tanto. Como da sua biografia se destaca mais a academia do que a experiência política, veio para o Comité Central do MPLA em 2019 quase do nada...2 anos mais tarde já está a arranhar no cargo mais importante do País, o de Presidente já que é Vice. Acho que se eu fosse o Presidente João Lourenço, poupar-me-ia de justificar e nomearia a senhora para Ministra de Ensino Superior, e seria razoável. Da biologia e botânica para Vice-Presidente da República é um nobel da genética.


Mas tem brio, é capaz, tem habilidades, competência e mais conhecimentos do que a Helen Johnson, do que a Timoshenko, do que a Angela Merkel, do que a Condolisa Rice ou Dilma Russeff. Tem mais carreira política do que a finada Rainha Isabel II ou pelo menos a mana Margareth Tacher e talvez seja mais revolucionária do que a Rosa Park...ouvi dizer que é parente da Indira Ghandi...mas isto é crónica cómica e peço que o nosso tresloucado SIC não me venha prender e mandar para masmorra onde poderei permanecer 7 anos sem processo-crime e depois serei forçado, numa conferência de imprensa pomposa, a confessar que roubei bacio em que as crianças nas escolas faziam cocó...Não precisa me mandar para cadeia só porque falei da Vice-Presidente deles.


Nos ditames da Constituição se algum infortúnio impedir JLO de continuar o seu mandato, teremos uma “Presidenta” que a rigor no seu passado não fora administradora de uma comuna, de um município, não fora governadora de alguma província conhecida. Não exercera algum cargo ministerial conhecido. Ela traz, provavelmente, uma experiência académica e como não estudou sozinha então a experiência académica não tem nenhuma originalidade e portanto todos a têm...


Voltando ao Coronel Muammar al Kadhaffi, eu tive o privilégio de estar presente na Guiné-Bissau depois do golpe que vitimou Nino Vieira, vi com meus olhos o Muamar Kadhaffi, no Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira. Era um tipo alto, olhar estranho tipo aqueles velhos tibetanos, aqueles monges aí nas imensas florestas do Tibete. No principio o Ditador obrigou que, todos os dirigentes do PIGC-Partido no Poder na altura, o encontrassem a bordo de um avião para a reunião da cúpula se passar dentro do avião pois que Guiné-Bissau não tinha chão para ele pisar, dada a pobreza que aquele País irmão de Angola passava; e, Kadhaffi considerava-se tão especial que escolhia com minúcia o chão onde pisa. Guiné-Bissau, nosso irmão, não era um dele, Kadhaffi prefere permanecer no seu avião de luxo e quem quiser lhe contactar deve embarcar nele e fazer vênia e pedir licença àquela moçada lindíssima, que rodeava o Ditador...


Os homens não obedecem, têm tendência a trair e vazar informações, são rebeldes por natureza, fizeram o MPLA perder as eleições e o pouco que JLO conseguiu foi fruto do empenho das mulheres afáveis por natureza, maternais e fidelíssimas, aquelas que JLO conseguiu colocar no Tribunal Constitucional e noutros lugares-chaves. Agora, a aposta no “sexo frágil” é mais do que evidente JLO odeia homens e tem sua preferência pelas Mulheres, só assim podemos aceitar que:


1. Sra Luiza Damião, Vice-Presidente do MPLA,
2. Sra Esperança Costa Vice-Presidente da República,
3. Sra Laurinda Cardoso ,Presidente do Tribunal Constitucional,
4. Sra Carolina Cerqueira, Presidente da Assembleia Nacional
5. Sra Vera Daves, Ministra das Finanças,
6. Sra Teresa Dias, Ministra da Administração, Emprego e Segurança Social,
7. Sra Carmen Sacramento Neto, Ministra das Pescas
8. Sra Maria do Rosário Bragança Sambo, para o cargo de Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação,
9. Sra Luísa Maria Alves Grilo, para o cargo de Ministra da Educação,
10. Sra Sílvia Paula Valentim Lutucuta, Ministra da Saúde,
11. Sra Ana Paula do Sacramento Neto, Ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher
12. Sra Ana Paula Chantre Luna de Carvalho, Ministra do Ambiente;

13. Sra Palmira Leitão Barbosa, Ministra da Juventude e Desportos,
14. Sra Ana Maria de Sousa e Silva, Secretária do Conselho de Ministros.
15. Sra Esmeralda Bravo Mendonça, Secretária de Estado de Relações Exteriores
16. Sra Maria Ramiro, Secretária de Estado para Administração, Finanças e Património
17. Sra Juciene de Sousa, Secretária de Estado para Secretária de Estado para os Orçamentos e Investimentos Públicos
18. Sra Teresa Quivienguele, Secretária de Estado para Secretária de Estado para Administração do Território
19. Sra Ana Januário, Secretária de Estado para os Direitos Humanos
20. Sra Amélia Varela, Secretária de Estado para Administração Pública
21. Sra Alice Pinto de Andrade e Almeida, Secretária de Estado para Ciências, Tecnologias e Inovação
22. Sra Maria da Piedade de Jesus, Secretária de Estado para Secretária de Estado para Cultura
23. Sra Paula Coelho, Secretária de Estado para Acção Climática e Desenvolvimento Sustentável
24. Sra Alcina Kindanda, Secretária de Estado para Família e Promoção da
Mulher
25. Sra Teresa Oliveira, Secretária de Estado para os Desportos....
26. Sra Lotti Nolica, Governadora provincial do Huambo
27. Sra Mara Quiosa, Governadora provincial de Cabinda
28. Sra Gerdina Didalelwa, Governadora Provincial do Cunene

29. Sra Maria Nelumba, Governadora provincial do Bengo
30. Sra Deolinda Vilarinho, Governadora Provincial da Lunda-Norte
31. (.....) como o ponto mais alto do 1o Mandato do Presidente João Lourenço foi canalizar todas as energias da Nação angolana e seu dinheiro em manejar mortos, então eu esperava criarmos o Ministério dos Mortos e se possível deveríamos nos “mimar” com uma Secretaria de Estado para as Exéquias Fúnebres. Um ministério dos Cemitérios e das Morgues, seria uma genialidade criativa e está mesmo a fazer falta...

 

Pelo menos a mamã Joana Lina deveria ser elevada a um cargozinho relacionado com o resgate dos mortos da Morgue Central de Barcelona, que é extensão do Hospital Américo Boavida ou é Josina Machel Ultramarina? A Espanha, os seus cemitérios, suas morgues, seus hospitais e suas INDRAs lhe torna Província Angolana Ultramarina. Tendo em conta que, em homenagem a quase 3 milhões de mortos que votaram no MPLA em 2022, o frenesim, a algazarra, o transe, o chinguilamento alucinante com que lidamos com o morto mais famoso do ano, o patriarca Zedú, o finado, que partiu dia 08 de Julho, deste para melhor, os funerais dos mortos que jaziam nos armários da ditadura desde os idos anos de 1977, esses zombie foram removidos, lavados e postos à rua e no necrotério televisivo mereceram destaque por semanas a fio. Falo do Nito Alves e outros, como falaria de Bula Matadi..., todos foram removidos do purgatório MPLISTA e conheceram festejos e repouso que imploravam haviam dezenas e dezenas de anos...é por esta razão que imploro um Ministério do Além-Túmulo para zelar pelos zombies.


Queridas mulheres de todo o mundo e especialmente as prediletas, preclaras, ínclitas e castíssimas angolanas, não me entendam mal eu vos amo e acredito no brilho de vossa inteligência. Não questiono as vossas capacidades e sim as motivações de alguém...Nós defensores dos Direitos Humanos defendemos fortemente os direitos das mulheres. Percebemos que as mulheres devem ocupar não só formalmente cargos, mas que tenham o verdadeiro Poder de Decisão, isto é, que decidam elas por suas próprias cabeças...


Que esses cargos sejam verdadeiramente instrumentos de relação de Poder com os homens para quebrarem a hegemonia de uma masculinidade doentia, brutal, opressiva, amante da guerra e roubo, amante da injustiça e ganância, um patriarcado tóxico, que devora as riquezas da irmandade, da concidadania...assim anelo colocar como indicador primário, a inteligência das mulheres, a paciência, a persistência, a perseverança, o humanismo, o compromisso social com os outros e acima de tudo, usando o cargo para transmitir a continuidade da vida e do amor entre as pessoas. Em Angola há muito ódio e de forma desnecessária, a mulher é a única esperança que o homem quando ele constrói bombas para se autodestruir.

SERÁ ESSA A RAZÃO DE VOSSAS NOMEAÇÕES?


No extremo oposto, a mulher é pacificadora, é conciliadora. Entra tarde na revolução, não é amante da guerra, não é amante das lutas. Se houver oportunidade de paz esse é o caminho que a mulher procura cimentar. Não embrutece. Quando a mulher desfila semi-nua nos concursos de beleza ou nos rótulos publicitários de comércio ela representa estética, cultura, beleza, arte...e pelo contrário, o Homem masculino quando desfila nú, sua nudez representa escravatura, brutalidade, selvajaria, animalidade, sofrimento, humilhação, estupidez e barbárie. É isto que auguro que faça grande diferença na governação das mulheres em relação aos “charmosos gorilas”!


O MPLA apostando nas mulheres para aqueles cargos que durante muitos anos foram de predominância dos homens, tal como as vice-Presidências, de partido e da República, o Parlamento, o Tribunal Constitucional entre outros, não queira o diabo, que as mulheres sejam colocadas alí como luvas cuja mão que as maneje seja uma mão masculina invisível e que elas sirvam para decoração, aproveitando de suas tendências a não questionar líderes, nem processos para fazer passar erros e injustiças... Não queira o diabo, nos dizer que haja um medo do líder em estar rodeado de homens masculinos a sério..., com aquela masculinidade rústica que tudo indaga...O Presidente João Lourenço está no seu último mandato. Está a preparar um substituto, qual das Vice-Presidentes ou Presidentes? 2027 está aí na esquina. Teremos uma “Presidenta” no MPLA e no País tendo em conta a já montada fraude eleitoral de 2027 com 41% dos votos e outros dispersados nos PHA e companhias? Esses vices e as presidentas de vários lugares devem já começar a treinar como generais porque uma delas será “Comandante em Chefe” das FAA e Polícia daqui um pouco mais 4 anos e pouco.


Não venha a má sorte nos sugerir que as mulheres estejam a ser drasticamente masculinizadas ou seja, ao invés das mulheres viverem as suas convicções políticas, esquadrinhar nas vivências sociais as suas verdadeiras vocações e lutar por elas, buscar incessantemente a sua lenda pessoal e alma do mundo baseada no querer, no pensar, no sentir e no agir genuinamente feminino desgarrado das amarras masculinas.


Os angolanos, durante muito tempo mataram a mulher original, a mulher convicta, a mulher verdadeira e no seu lugar emergiram a mulher masculina. Uma mulher masculinizada é aquela mulher que aprendeu no comité do partido, que “para seres mulher de verdade, grande mulher tens que imitar os homens”. Em Angola diz-se que a mulher de valor, é aquela mulher que cria barbas, anda de calças, tem músculos rústicos como paquiderme, é grande mulher se pilotar um avião de guerra, ou for general do exército; é mulher de valor se ela tiver voz grossa e calçar 45 no pé, o tal dito “Pé-Ndjángo”! Seria mulher de valor aquela mulher que escala postes de luz para concertar lâmpadas, ou mergulha no fogo como bombeira para resgatar vítimas de incêndio. É mulher a sério aquela que joga a bola com os pés ou em 2 minutos desmonta a arma PKM limpa e no terceiro minuto monta e começa a disparar rajadas manejando a arma pesada com uma só mão. Não! Não! Isto não é ser mulher. É ser uma mulher que matou nela a sua verdadeira identidade e para sobreviver da crueldade egoística dos homens começou a imitar tudo o que os homens fazem para ela ser notada, para se distinguir das mulheres efeminadas, dóceis, delicadas, sensíveis, choronas, de tato suave, bem cheirosas, voz fininhas, olhares cândidos e imaculados, coração augusto, que personificam a “Virgem Maria”. A mulher é o que é e não é aquilo que os homens querem que ela seja! A mulher repousa no uno da sua simplicidade, na essência de si mesma, sabem porquê? Porque ela é!


Não devemos promover as mulheres com o fito de lhes tornar masculinizadas e rústicas. Não as podemos masculinizar para assumirem elas as guerras dos homens como aquela crueldade, frieza, cinismo, malandragem, masculinidade patológica que encontramos naquelas tias lutuosas do Tribunal Constitucional. A mulher que estudou muito, não o fez para ser “coveira” trabalhando no cemitério da democracia chamado Tribunal Constitucional”. Pelo menos estou a parafrasear o Grande Jurisconsulto de todos os tempos o Doutor Manuel Aragão forçosamente jubilado só porque disse que “o Tribunal Constitucional representa em Angola o suicídio da democracia” então seus funcionários são colegas dos trabalhadores do Cemitério do 14...ou do Benfica talvez. Foram as meninas que produziram a Fraude Eleitoral em 2022. Mas já fora notável o papel de uma senhora “bebedora de água” que em 2017 naquela fraude monumental. Acto contínuo, com seus punhos de Grande Mulher Masculinizada ainda colocou suas impressões digitais na crueldade de eleições de 2022, destruindo “liminarmente” uma Angola melhor.


Quando o Presidente João Lourenço queria despojar Adalberto da Costa Júnior do cargo de Presidente da UNITA concomitantemente candidato a Presidente da República, teve que rapidamente “enxotar” o Dr. Manuel Aragão, do Cargo de Juiz Conselheiro Presidente do Tribunal Constitucional e rapidamente identificou uma moça, cuja crueldade não deixaria dúvida e fora incumbida a responsabilidade de humilhar até ao esgotamento o Presidente da UNITA. Cumpriu na letra e no espírito a ordem dada e dias depois de tomar posse, anulou o XIII Congresso da UNITA e colocara no “desemprego” o Presidente da UNITA...não fosse a serenidade e idoneidade da UNITA, Angola se transformaria num lago de fogo volátil.


As meninas têm imensas dificuldades em medir as consequências dos seus atos, por isso que quando amam muito, matam, porque dizem elas, que, “a força que gera uma vida é a mesma força que a tira...” vocês conseguem imaginar, o que as mulheres são capazes de fazer quando estão motivadas!? Acto continuo, quando o Presidente João Lourenço e seu MPLA perderam as eleições de 24 de Agosto de 2022, o ultimo fôlego, a única esperança, o milagre competia nas mulheres e elas como sempre fidelíssimas, anunciaram que João Lourenço é Presidente da República e para mostrar sentimento de reconhecimento da bravura, deve ser ladeado por 2 vices meninas e duas presidentas no legiferante e no constitucional por mais outras meninas. Para terminar, anseio ver uma menina a liderar o Ministério do Interior onde ainda a rudeza masculina persiste. O Ministério da defesa precisa apanhar “chapada de saiote” está rude demais! Gostaria que as mulheres usem seus cargos para se lembrarem das zungueiras, das mulheres Khoisan, das mulheres tukavonas, Imbas, Vátuas, das mulheres em vários quadrantes estão sendo maltratadas, humilhadas, avacalhadas e calcinadas muitas vezes em troca de uma tijela de sopa. Com tantas mulheres nos cargos de decisão, devem emanar soluções para acabarmos com mulheres trabalhadoras da noite, que de indigno o cargo acarreta riscos enormes porque em Angola não temos segurança pública...


Não queremos ouvir que mais raparigas deitaram fetos nos contentores de lixo por medo de sustentar o bebé por falta de emprego. Minha recomendação e a mais alta de todas: QUERIDAS MULHERES QUE CHEGOU A VOSSA VEZ, APROVEM UMA LEI QUE EM ANGOLA DEVE SE PAGAR SÚBSIDIO DA MÃE-SOLTEIRA. Todas as mulheres mãe-solteira que vive sozinha cuidando do seu filho de um pai que os abandonou, deve beneficiar de um subsídio que lhe permite ter casa, comida, roupa, saúde, comunicação, lazer e poupança. Provavelmente se todo o dinheiro não for investido na fraude eleitoral, esse subsídio seria um mínimo de 250.000 kwanzas mensalmente que uma mãe-solteira deveria beneficiar. Se não forem capazes de fazer muito e grande pelas mulheres sofredoras então vou continuar a pensar que apesar de cargos formalmente grandes ainda a mulher está ser usada em Angola como receptáculo passivo das ordens masculinas e finalmente não passam das guarda-costas do Muammar Kadhaffi.


Por: Ângelo Kapwatcha, Defensor dos Direitos Humanos



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: