Lisboa – O veterano jornalista Ilídio Manuel recebeu, esta semana, uma chamada telefônica do Serviço de Investigação Criminal de alguém que se identificou com o nome de Edivaldo Oliveira, notificando-lhe para apresentar-se nesta sexta-feira, naquele serviço, sem que o tivessem revelado as razões da notificação verbal.

Fonte: Club-k.net

“Pedi-lhe que formalizasse a notificação, ou seja, que o fizesse na forma escrita, uma vez que não me sentia obrigado a responder-lhe ao «convite verbal». Embora ele me tivesse dito que podia notificar-me por telefone, disse-lhes que, até onde chegava o meu conhecimento, as notificações deveriam ser feitas, ao abrigo do Código do Processo Penal (CPP), na forma escrita. Em resposta à minha reacção, ele pediu-me que lhe enviasse um endereço físico para o qual deveria encaminhar a notificação”, escreveu o profissional numa nota que o Club-K teve acesso.

 

Ilídio Manuel explicou que antes de fornecer o seu endereço físico, insistiu para que avançassem as razões da notificação contra o mesmo, mas sem sucesso. “Lacónico, disse-me que ele estava ligado ao Departamento de Crimes Contra Pessoas do SIC”, contou questionando se cometeu algum DELITO DE OPINIÃO ou um crime Lesa-Majestade, subsumível no famigerado artigo 333º do CP. “Pisei a «linha vermelha» infringindo as normas da «democracia orientada e disciplinada»? Estou à espera da notificação”, rematou.

 

A notificação contra Ilídio Manuel acontece num período em que figuras criticas ao regime tem se queixado de detenções e alegados raptos levados a cabo pelo SIC.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: