Exma.Sra. Ministra para o ensino
Superior e Ciência e Tecnológia
Att: Dr. Maria Cândida Teixeira
Luanda


Os melhores cumprimentos!


A comunidade estudantil na República da Ucrânia vem através desta agradecer a v. Excelência de ceder-nos seu valioso tempo para informamos alguns assuntos acadêmicos, pois nesta altura nos estudantes preparamos o início de um novo ano lectivo, e viemos expor o seguinte:



Fomos comunicados pela chefe do sector estudantil na Embaixada de Angola na Federação Russa e países da CEI, que os estudantes que terminaram “Bacharel”(4º ano) não estamos autorizados à dar continuidade dos estudos 5º e último ano“Mestrado”, alegando-se que com o Bacharel junto da ordem dos engenheiros e da Universidade Agostinho Neto, equivale ao grau de engenheiro ou licenciado, ao nosso vêr talvez só em Angola o bacharel é equilalente a licenciatura.



O bacharel não é e nunca foi uma formação profissional, como é de conhecimento em nenhuma parte do mundo, a formação de engenharia não é feita em apenas 4 anos, até mesmo nos países beneficiários da lei de Bolonha.


É de realçar ainda que em 2008 foi nos atribuida a bolsa do apoio (propina,lar e seguro de saúde), em 2009 retiraram o pagamento do lar e seguro de saúde, em 2010 fomos informados que os estudantes que terminaram “Bacharel” 4º ano, alegando que não estavam autorizados a dar sequência dos estudos e por sua vez demos a conhecer as instituições competentes do governo, a crítica situação em que nos encontravamos, posteriormente o sector estudantil fez o pagamento dos estudos do 5º e último que corresponde ao “Mestrado”.


Surpreendentemente em 2011 como é já de hábito, a comunidade estudantil na Ucrânia acusou a recepção do comunicado expedido pela a chefe do sector estudantil junto da embaixada de Angola na federação Russa e paises da CEI, conforme se ve em anexo uma vez que quando nos foi retirado os direitos acima frisados, abrangindo a todos, porque que o ano transato os estudantes foram autorizados a dar sequência dos estudos, e o porquê que este ano não somos autorizados? E quais são os critérios? Com o desagrado dos estudantes que terminaram o 4º ano “Bacharel” do curso de Engenharia e não só de toda comunidade estudantil na Ucrânia vem recordar que o facto de sermos estudantes por conta própria ou do apoio como somos desiguinados, não significa que deveremos ser marginalizados por quanto a nossa formação é e será uma mais-valia para o governo Angolano.


Atravéz desta viemos mui respeitosamente pedir a vossa máxima compreenção que vela-se pela nossa situação visto que falta-nos apenas um ano para concluirmos o ensino superior.


Sem mais assunto de momento a comunidade estudantil deseja as nossas cordias saudações.


Ucrânia aos 21 de Agosto de 2011



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: