Luanda -  Triste mais é realidade, pois eu estava lá no Hospital Militar, no dia 8 de Setembro do corrente ano, na quarta feira, quando uma senhora aparentemente de 80 anos de idade, frágil, que aparentava uma crise de trombose, chegou ao Hospital as 10 horas da manha, no Banco de Emergência.


Fonte: Club-k.net


Indiferente ao olhar da maioria dos médicos, que simplesmente se dignaram em oferecer-lhe uma cadeira de roda, já que a mesma nem força tinha para se manter de pé.


Passados 9 horas a pobre Senhora (assim como eu), não tinha sido atendida, sobre a passagem repetida e indiferente de médicos e enfermeiros que apos receberem o seu  processo, pois a mesma vinha transferida de uma outra Clinica Militar por falta de condições pela enfermidade da mesma, simplesmente abandonaram a sua sorte sem alimentação porque simplesmente deram a esperança que a mesma faria testes de sangue e Tac.

 

As 21 2horas  após insistência dos parentes da senhora idosa, lá um enfermeiro(Santos enfermeiros, pois um dia antes graças o desempenho de um a mesma foi salva com oxigênio pela velha, segundo relato dos parentes),transportou-a para a realização do tão esperados exames.


Após esperarmos ate a meia noite , pasme-se uma medica de serviço naquele dia , de estatura robusta alta e de cara de poucos amigos , simplesmente aparece e diz que os resultados perderam e mesmo a senhora não tinha que aparecer ai porque ali é um Hospital Militar e não tratam mulheres.


Sob um aparato de ignorância a medica gritou a bom tom, para quem quisesse ouvir que não iria tratar a pobre senhora porque nem cama tinham para interná-la já que ai só se interna militares.(alias é uma resposta que dão freqüentemente quando acham que aquele ser é minúsculo demais para ser tratado pelas mãos de lês).


Sugerindo que as mulheres nunca seriam militares. Santa ignorância

 

E  sem mais nada fugiu das reclamações dos parentes da senhora com quem foge pela incompetência de ser medica e ter vergonha de a reconhecer.

 

E voltaram para casa os parentes e a senhora, sem tratamento da senhora, que Deus a proteja e não tenha morrido, porque naquele Hospital é um inferno autentico.Os médicos não têm amor ao Próximo, e mesmo sendo aquela mulher mãe de um Oficial foi desprezada que nem um cão.

 

O apelo vai ao Ministério da saúde, que admite nos seus quadros médicos tão baixos de espírito e sem competência para exercer a mais nobre profissão do mundo.

 

Fiquem atento porque medica como essa ajudam a fazer falir o Sistema de saúde do Pais, que é Angola.


Que  Deus abençoe  Angola


* anônimo



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: