Luanda - O procurador-geral-da República junto do Serviço de Investigação Criminal (SIC), na Maianga, Zacarias Castro Selalo, está ser acusado por um cidadão de nacionalidade gambiana, de 39 anos, de mandar bloquear as suas contas bancárias, após o Tribunal da Comarca de Belas (TCB) ter ordenado o desbloqueio.

Fonte: Club-K.net

Sigilosamente, este magistrado do Ministério Público (MP) oficiou duas instituições bancárias para fazerem estorno e transferirem vários milhões de kwanzas para conta de um suposto amigo seu.

O procurador recusa-se em dar explicações aos advogados do cidadão gambiano, que reside no país há anos, e que alega nunca ter sido julgado e condenado em nenhum processo-crime em Angola.

Hajie Sillah, o queixoso, diz-se vítima de perseguições por parte de pessoas ligada a justiça, visto que “do nada as suas contas foram bloqueadas” a mando da juíza Ana Bela, da 4.ª Secção do Tribunal de Belas, no Kilamba-Kiaxi, no mês de Abril deste ano.

O homem assegura ter feito reclamações através dos seus advogados junto do Conselho Superior da Magistratura Judicial (CSMJ) e do Tribunal de Belas (TB) e viu a semana passada, as contas desbloqueadas.

Após ter feito movimentos de forma normal, prossegue, pois tinha contraído dívidas para sobreviver, foi novamente surpreendido, na segunda-feira ,10, por uma nova ordem de bloqueio.

Desta vez, feito pelo procurador junto do SIC-Maianga, Zacarias Castro Selalo, afecto a esquadra policial do “Catinton”, no Distrito Urbano da Maianga, no município de Luanda.

O cidadão gambiano, disse à imprensa que o foi informado pelos bancos BIC e BPC que o procurador Zacarias Castro Selalo, mandou bloquear as contas bancárias sem sequer o notificar da decisão.

“Isso parece um jogo. A juíza suspendeu todos os actos praticados por ela e mandou o procurador executar! Isso só mostra que ambos estão de conluio. Porque o procurador até já pediu aos bancos para fazerem esterno e transferir o dinheiro para conta de um amigo seu, que alega ser meu sócio, sócio esse que não o conheço”, contou.

Segundo Hajie Sillah, os bancos receberam ordem expressa do procurador Zacarias Castro Selalo, para transferir dinheiro, da minha conta, para a conta bancária de um terceiro, por sinal um suposto amigo seu.

Entretanto, os advogados de Hajie Sillah, asseguram que tentaram o contacto com este magistrado do Ministério Público junto do SIC-Maianga, mas esse se mostrou indisponível e nem responde aos documentos que os mesmos deram entrada.

Os advogados afirmam que precederam, nesta quarta-feira, 13, uma queixa-crime junto da Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), e ao Conselho Superior da Magistratura do Ministério Público.