Luanda - Ontem, 23 de Março de 2012, ao princípio da noite estava o meu filho em companhia de alguns amigos, todos menores de idade, isto no largo Albano Machado, (Largo da Lumena), a conversarem. Por se tratar de um largo bastante iluminado e por lá rondarem polícias, sentiram-se mais seguros e protegidos enquanto permanecessem aí. A dado instante resolveram fazer algumas rimas momentâneas, (free-style).


Fonte: Club-k.net

Passado algum tempo, de passagem para sua casa, a Comandante Bety acompanhada de dois patrulheiros, que ao verem as crianças em diversão, pararam as viaturas e de seguida a Comandante Bety deu ordens para deterem todas, tendo algumas fugido do local. Como quem não deve não teme, três crianças permaneceram lál, por saberem não terem feito nada de ilegal, sendo de seguida detidas e encaminhadas para a 4ª Esquadra de Polícia, na Maianga, próximo à sede do BFA, permanecendo nesta Unidade Policial, aproximadamente 13 horas.


Ao deslocar-me para a dita esquadra, depois de receber um telefonema de um amigo do meu filho, inteirei-me junto aos agentes da polícia, que não havia queixa formada, nem tão pouco motivos para os manterem detidos ou retidos como disseram os polícias que se encontravam de trabalho naquela noite. Desesperadamente tentava a todo custo chamar a atenção dos mesmos, que por não terem as crianças feito algo fora da lei, embora terem estado no local várias crianças juntas, era normal, por se tratar de um pátio público.

 

A resposta dos Agentes da Polícia era sempre a mesma, que devia-se aguardar por ordens superiores, visto ser a Comandante Bety quem as mandou encaminhar ou seja que as privou de liberdade.


O tempo ia passando e por mais que apelasse para o bom senso dos policiais, ninguém queria arriscar o seu pescoço para soltá-las. Quando já estava completamente cansado, por estar bastante tempo de pé e debaixo de sol, o bom senso de alguns oficiais superiores falou mais alto e por fim veio a dita ordem para soltarem as crianças. Meus caros leitores, digo-vos que foi uma experiência horrível para elas, de tão traumatizadas saíram de lá, mas enfim, o que vamos fazer, se ela é a senhora poderosa que tudo pode, tudo lhe é permitida e todos a temem quando do seu nome ouvem falar. A pergunta com certeza de todos os leitores; será que esta situação vai durar por muito e mais tempo? Resposta: só eles é que sabem, vamos fazer mas como antão, se é este o problema que estamos com ele. Eles é que mandam….


Luanda, 24 de Março de 2012.


P******, morador nesta cidade, no Bairro Operário. Peço que me mantenham sob anonimato por temer possíveis represálias.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: