Luanda - Na noite do dia 29 de Março do corrente ano por volta das desanove horas e trinta, saía eu de Caxito onde acabava de cumprir mais uma jornada laboral, porém como é obrigatório tive de decidir entre passar pela Boa Vista ou pelo Antigo Roque Santeiro e decidí-me pela vía que passa pelo antigo maior mercado de África a céu aberto, para de seguida aceder a zona baixa de Luanda.


Fonte: Club-k.net


A opção deveu-se primeiro, pelo facto da vía da Boa Vista estar o seu tapete asfáltico completamente destruído e  cheia de crateras, segundo porque a mesma fica completamente fechada devido os inúmeros camiões que por alí circulam. Porém ao optar em passar pela via do Sambizanga, para aquele dia foi um erro crasso, registava-se no cruzamento da rua que vai ao São Paulo e outra para o Mira Mar, um grande engarrafamento. Foi então que uma viatura Volvo Nh 12, com a matrícula LD-98-12-AD conduzida pelo Sr.Joaquim Chicuaia, da empresa Soares da Costa ao tentar forçar a entrada a frente da viatura que se encontrava atrás da minha, acabou embatendo contra o meu para choque arrancando-o do lugar e amolgou a parte lateral esquerda da minha pobre viatura.

 

Entendemo-nos logo, não foi necessário accionar a polícia que se encontrava a escassos metros, a ordenar o tránsito infernal. No dia seguinte apresentei-me na Central de Betão da empresa acima referida e tratamos dos trámites necessários para que o seguro fosse executado pela seguradora.


No dia 12 de Abril a Soares da Costa fez a participação do sinistro à Ensa e esta acusou a recepão da mesma, a empresa ligou-me par anunciar que já havia feito a participação neste mesmo dia. No dia 16 de abril(uma segunda-feira), apresentei-me a Seguradora no centro de sinistro na marginal de Luanda, um jovem funcionário recebeu-me, verificou na sua base de dados e seguidamente informou-me, que a eles haviam recebido o meu processo mas ainda estava em curso o seu tratamento. Perguntei quando lá devia voltar e respondeu-me que na Quinta-feira dia 19.

 

Porém, abandonei os meu afazeres, submetí-me ao tránsito infernal da baixa de Luanda, quando cheguei a agência, o jovem respondeu-me,”o seu processo ainda está em curso, mas fique tranquilo porque nós iremos ligar para sí, de modo os nossos peritos verem os danos na viatura e então passarem a factura. Desde então tenho aguardado pela ligação mas até aquí nada.

 

Penso que este procedimento da Ensa, é uma falta de respeito para com os consumidores, poi se estes pagam em tempo útil os seus respectivos seguros, porque a demora na execução dos mesmos em caso de sinistro e se a minha viatura ficasse completamente danificada, o que seria das minhas deslocações. Ainda não fiz uma queixa formal ao INADEC, mas aquí vai uma denúncia pública, de um cidadão que se vê prejudicado por uma empresa especialista no seu ramo, mas que tem dificuldades em fazer bem o seu serviço, ou por falta de capacidade, ou por malabarismo, porque na verdade eles sabem receber o dinheiro dos pagamentos de seguros e porque a demora para resarcirem os danos provocados pelos seus segurados? Por isso não tenho dúvidas em afirmar, que a Ensa como seguradora é um desatre.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: