Luanda - No passado dia 11 do corrente mês este portal publicou uma matéria com o título, “Ensa e o embuste dos seus seguros”, por nós assinada, era na verdade a manifestação de um descontentamento e ao mesmo tempo uma denúncia pública.


Fonte: Club-k.net


Ontem dia 14 três dias depois da publicação da matéria, recebí porém um telefonema simpático no período matinal, a voz dizia que “estou a ligar da Ensa, seguros de angola”, para de seguida me  informar que o meu recibo já estava pronto e estavam a minha espera para a respectiva entrega. Combinei com o funcionário que havia de aparcer no dia seguinte (terça-feira dia 15) nas primeiras horas da manhã e assim aconteceu.


Ao chegar no centro de sinistros da Ensa na marginal de Luanda, fui atendido por um jovem bastante educado, que de seguida ao ver o meu processo perguntou “é o senhor Amílcar?”, começou por justificar que a demora deveu-se ao facto de terem encontrado alguma dificuldade em localizar a oficina que fez o orçamento para a reparação dos danos, comprendia a indiganação minha e considerava legítima a minha denúncia. Minutos depoi apareceu outro jovem que por sinal falou comigo por telefone no dia anterior e entregou-me o recibo, reiterando as desculpas já apresentadas pelo seu colegar.


Já com o recibo na mão, é que o primeiro funcionário irrompeu na sala algo nervoso e chateado com o colega, porque segundo ele o “Director queria entregar pessoalmente o recibo”, pediu-me de seguida que subisse ao gabinete do mesmo onde era aguardado. De forma bastante cordial, recebeu-me a porta e apresentou-se como sendo “Francisco Santos”, soube a seguir que se tratava do director para a área de sinistros, aliás pude observar a entrada que dizia “gabinete de sinistros”.


No interiro o Director Francisco Santos de forma educada apresentou-me um pedido formal de desculpas em nome da Ensa e explicou de seguida que tomaram conhecimento do atraso do processo a partir da denúncia efectuada. Informou-me também  que A Ensa para seguro automóvel, leva a penas três dias para ressarcir os danos, para seguros com danos com 10 a 15 000 usd, pelo menos 15 dias e estão a fazer tudo para que os danos que requeiram substituição da viatura na sua totalidade seja ressarcida em 30 dias, para ele, o meu caso foi isolado, aconteceu por negligência do gestor e que lamentava bastante. Ao responder fui claro em lhe dizer que o meu caso não era isolado, porque conheço pessoas próximas que foram vítivas destas situações.


Terminamos a conversa aceitando claro, as desculpas, fui dirigido à tesouraria e levantei o valor do seguro e fiquei aliviado.


Ao trazer aquí estes dados, não significa que agora a minha opinião mudou em relação aos serviços da Ensa, mas é para reflectir que das análises efectuadas, pude de facto concluír que houve sim negligência por parte do gestor e que desta forma maculou a imagem da sua empresa, pelo impacto que a notícia teve. É necessário que as vagas das empresas, sejam ocupadas com base a meritocracia e não por nepotismo, ou cunhas desnecessárias, como todos sabemos acontece com as empresas públicas, os famosos concursos públicos nunca são transparentes, com o fito de se dar lugar a parentes, amigos, as vezes namoradas, o que se reflete mais tarde no desempenho e produtividade das mesmas e com danos morais e as vezes materias para os seus gestores.


O segundo aspecto, achei bastante elegante o engajamento da direcção da Ensa, cujo Director para os sinistros encarregou-se de pedir-me desculpas de forma pessoal, foi uma actitude que visou claramente limpar a imagem da sua empresa que ficou maculada pela acção irresponsável de um funcionário, mas que foi bastante responsável, na medida que foi uma demonstração de humildade, perante o reconhecimento de um erro cometido, afinal do latim “errare humanum est”, errar é humano, afinal “o inteligente não é aquele que não erra, mas é aquele que ao ser corrigido rectifica”.


Espero que este episódio, seja um alerta não só a Ensa mas também a todas as similares, que no exercício das suas actividades, primem sempre por um maior profissionalismo o que leva as empresas à excelência. Ao não acontecer, poderemos usar afinal todas as possibilidades que a era das Tic´s nos oferece para denunciarmos todos esses actos menos resposãveis.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: