Luanda - (Ponto prévio; o Presente artigo estava na forja antes de 19 de Maio o dia D da verdadeira oposição ao regime JES)


Fonte: Club-k.net


"Trinta e sete pacientes foram para ao hospital e 18 jovens detidos é o balanço provisório do incidente que aconteceu na madrugada do dia 17 de Maio do ano em curso, no espetáculo musico cultural realizada no largo da África em Benguela  quando o Kudurista Nagrelha entrou em  palco resultando uma reação popular inesperada. O   público emocionado e alguns alcoolizados arremessaram-se garrafas tendo a  polícia nacional intervindo  com gás lacrimogêneo. Noticiou a Rádio Benguela.


A notícia acima fez-me meditar uma vez mais sobre o termo; Manifestações, e dissertar novamente sobre o tema, porem prosseguindo a notícia, relatou o Club-K.


“Segundo a Rádio Benguela que avançou com a  notícia, esta  é a segunda vez consecutiva que se cria pânico na festa da cidade  e com o mesmo músico, situação que se torna já preocupante”.


DEFINIÇÃO; MANIFESTAÇÕES; ato de manifestar-se, manifestação de pensamento. Movimento popular, ajuntamento de pessoas destinado a exprimir publicamente um sentimento, uma opinião politica. Homenagem coletiva a uma pessoa eminente.


Ora, o que muito boa gente desconhece ou descura, é que por exemplo a atividade contextualizado na notícia acima, neste caso específico; “ A FESTA DA CIDADE DE BENGUELA” ou as atividades relacionadas ao “ dia da cidade”, não é mais do que uma MANIFESTAÇÃO, no caso vertente social ou cultural, há por exemplo outro tipo de manifestações como a religiosa, um ato religioso protegido por paredes ou no interior de um templo, pode-se enquadrar na definição acima, bem como as chamadas “procissões” que são efetuadas geralmente na via pública ou em campo aberto – passe o termo.


Portanto não é verdade, o que o regime diz; “manifestação é sinonimo de vandalismo ou desejos de retorno a guerra”.


A POLÌCIA E AS MANIFESAÇÕES


Porem como todas as manifestações, ou ajuntamento de pessoas destinado a exprimir publicamente um sentimento, há os que aproveitando o ato, decidem “deitar o seu fel”, tal como aconteceu conforme o descrito acima, resultando na detenção de 18 jovens suspeitos da prática da violência e o internamento de cerca de 37 cidadãos no hospital local uma centena de outros feridos ligeiros, socorreram-se em outros locais alternativos aos serviços públicos de saúde local.


O que aconteceu logo a seguir a enérgica e oportuna intervenção da Policia? Será que a manifestação popular foi desaconselhada de “prosseguir” e a polícia ‘desarticular’ a mesma?.. Claro que não, a vida aliás a manifestação prosseguiu desta feita sem sobressalto, horas depois no mesmíssimo local, quase que já ninguém fazia referência do assunto.


Lembrei-me que ainda na cidade de Benguela, na chamada praça ou largo do primeiro de Maio, defronte da sede do MPLA, á coisa de 2-3 anos atras, numa atividade política (Manifestação politica) capitaneada por um dos ícones (será mesmo?) do partido no poder; Kundi Paihama (KP), um grupo de desordeiros efetuaram uma serie de disparos com armas de fogo, que resultou obviamente numa debandada geral, ‘produzindo’ muitos feridos, dizem que até o ícone KP “bateu com o joelho no queixo, isto é deu as de vila Diogo, quer dizer deu na sola” e que o fez vociferar a celebre frase; “Vou mandar fechar as cadeias e alargar os cemitérios”.


Ora, será que o MPLA desistiu de praticar tais manifestações politica? Será que podemos dizer que tais jovens arruaceiros que protagonizaram o ato acima, são rufias do MPLA, e que tais atos só produzem vandalismos e bestialidades?


Mais uma vez a prática diz-nos; Não. Então porque o pensamento de que Manifestações produzem vandalismo? Ora o que acontece nas outras paragens?


As notícias que preenchem as nossas TV’s, falam de manifestações em quase todo o mundo com especial realce na Europa e América (continente), algumas delas resultando em prisões e espancamentos por parte da polícia em relação aos que pretendendo ‘estar’ nas mesmas, ‘fogem’ ao espirito e a letra das manifestações, isto é ao propósito delas.
Será que já ouvimos falar que por causa das constantes intervenções da polícia, algum país do ocidente baniu as manifestações de qualquer índole?


A polícia deve enquadrar as manifestações, coordenar a sua ação com o comité ou grupo coordenador das mesmas, para proteger não só os manifestantes dos arruaceiros e infiltrados, como o bem público, intervindo sempre que necessário, isto é sempre que a ORDEM seja posta em causa. Esta é a tarefa da polícia em Angola ou em qualquer parte do mundo.


AS MANIFESTAÇÕES E O MPLA


O MPLA, viciou o conceito de; Manifestações, introduzindo na mente das pessoas a ideia de que as mesmas é sinonimo de; Violência, vandalismo, anti-paz etc. e de que, só as manifestações emolduradas pelas suas ideias e objetivos são manifestações pacificas. É tal verdade e real?


Como vimos acima, vandalismo há-os em toda a parte em todo o mundo, por isso existir a polícia, precisamente para combater tudo que diz respeito ao que é contra a lei, e pelo que se sabe, em nenhuma parte do mundo democrático, a manifestação pacífica de qualquer índole é contra a lei. Regra geral, toda a manifestação popular é pacífica, e cabe também a responsabilidade a polícia de mante-la pacífica e ordeira, para o bem-estar público.


PORQUE AS MANIFESTAÇÕES?


As manifestações politicas ou sociopolíticas, têm por objetivo dar voz aos anseios e preocupações do povo, que em um certo momento se vêm privados de se fazer ouvir pelo poder. Em muito as manifestações servem para alertar o poder vigente do pensamento popular, e para corrigir atos impopulares.


Em Angola, temos inúmeras razões para todos os dias acontecerem manifestações de reivindicação social (para não dizer politico), os constantes derrubes das casas dos mais desfavorecidos/pobres, o desprezo por parte do regime/JES pelos direitos mais elementares (justiça e Liberdade) dos autóctones, os desgraçados e aberrantes planos do governo, a falta de água e luz, falta de saneamento público eficaz, a corrupção galopante e geral etc., etc., devia (deve) motivar o povo a sair a rua, para EXIGIR o melhoramento da vida Pública. O poder só sabe agir sob pressão em benefício do povo. O caso Suzana Inglês é exemplo recente.


As manifestações em Angola, constitui o único instrumento disponível para o povo, pois a chamada comunicação social esta totalmente ao serviço de JES e são contra toda a manifestação de qualquer índole que não é caucionada por JES e seus esbirros.


Dissertação de Abel ‘Chivas’ em Benguela


Não podia perder a oportunidade de ouvir o Abel Chivukuvuko (AC) em primeira mão no Cine-Monumental em Benguela aos 16 de Maio, após a desastrosa intervenção de seu representante provincial na quinta do debate.


AC seguiu de ‘carreirinha’ a intervenção do seu ‘homem’, quando se lhe foi pedido para pronunciar-se com relação a então projetada manifestação da UNITA, entre outras palavras disse mais ou menos o seguinte; “ … não estou habituado a ir a festas sem ser convidado, porque não gosto de ser Pato…”


Numa outra ocasião, a-propósito da Suzana Inglês (SI), desvalorizou por completo a luta dos partidos políticos que solicitaram no tribunal supremo a impugnação da SI por sua nomeação estar em completa oposição a lei fundamental. AC como dizia desvalorizou a mesma, mencionando até… “a SI nossa irmã e compatriota…”


Quinze minutos depois do termino da palestra no Cine Monumental, foi anunciada ou ficou-se a saber que finalmente o Tribunal Supremo (TS) em conformidade com a Lei, impugnou finalmente o concurso e a nomeação da SI.


Pensei para com os meus botões; “coitado do mano Chivas, e agora?!”


AC foi convidado a proferir outra palesta no dia seguinte, desta feita para os estudantes da Universidade Jean-Piaget, o signatário também se fez presente, e felizmente AC fez uma manobra ‘correta’, posicionando-se a favor dos partidos que Exigiram a reposição da legalidade constitucional, e no que se refere as manifestações, subtilmente incentivou os presentes a exercerem o direito de reivindicarem a defesa dos seus direitos.


Conclusão


Felizmente a policia e o MININT no geral fizeram enfim o seu papel em todo o País, a programada manifestação da UNITA, decorreu sem incidentes, está de parabéns todos os órgãos do MININT e em particular da Policia.


Mau grado as tentativas do MPLA-JES de pretender abortar as mesmas (em Benguela o governo ensaiou uma tentativa de proibição), promovendo as chamadas “contra-manifestações”, porque que, quando o MPLA-JES convoca as suas manifestações, ninguém mais – isto é nenhum outro partido político da oposição - pode faze-lo, e ‘eles’ o MPLA-JES quando ‘apercebem-se’ de uma manifestação de um partido da oposição, convocam imediatamente uma outra?.. Será que tal comportamento é PACIFICO e visa harmonizar todos os extratos da sociedade?
A UNITA por seu lado, demonstrou que é um partido “que se deve levar á sério”.
Está de parabéns o POVO ANGOLANO.


“Quase sempre a maior ou menor felicidade depende do grau de decisão de ser feliz.” – Abraham Lincoln

NGUITUKA SALOMÃO



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: