Igreja Evangélica Congregacional  de Angola (IECA):  A Igreja onde o mensageiro (pastor)  é mais Importante do que a Mensagem (Jesus)  e o Dono da Mensagem (Deus)

Benguela - As Igrejas  ditas tradicionais que atracaram em Angola nas caravelas da colonização e humilhação perderam todo o significado da essência Cristianismo . Para estas igrejas Jesus Cristo é uma mera pessoa que hoje é impotente porque as tradições dos antepassados falam mais do que o Salvador e Senhor da humanidade, tornaram-se num “túmulo de ossos podres”.


Fonte: Club-k.net

Que nas eleições receberão carros  em troca do silêncio

Os ditos pastores, se verdade o são, porque muitos têm neste  serviço sagrado uma ocupação para do seu ganha pão e espaço de definição da sua importância não entende absoltamente nada da essência do ser seguidor e discípulo de Jesus Cristo. Jesus serviu o povo e nunca foi servido e foi por isso que morreu na cruz. Mas ao contrário de Jesus a maior parte dos pastores exige uma adulação, adoração e submissão cega dos seus membros.  Jesus é amor e não o ódio, a inveja, intriga, lutas pelo poder e ameaças contra os fiéis. Na sua missão de ser o amor e perdão perfeito de Deus Jesus sempre congregou o povo e nunca apredejou, perseguiu e suspendeu as pessoas como é a prática dos fariseus e saduceus do século XXI que arrogantemente acreditam  que a Igreja é uma propriedade dos homens e não de Deus.


Tal como Judas Iscariotes  os sacerdotes das ditas igrejas tradicionais venderam o povo de Deus por trinta moedas . Como aconteceu nas eleições de 2008, receberão carros, mordomias e sacos de dinheiro em troca do seu silêncio cumplíce e criminoso.  Por isso preferem ficar calados perante a miséria que vivem a grande maioria dos seus membros excluídos na periferia de tudo e vivem o evangelho do “fatalismo” em que a pobreza é uma virtude para se herdar o reino dos céus e que a pobreza é normal aqui na terra desde que os membros não deixem de dar as suas ofertas. Isto éo mais importante aqui na terra como membros da igreja, dar ofertas para quenão falte os salários dos ditos pastores., pastores que não fazem absolutamente nada para melhorar o nível de vida dos seus membros que padecem nos musseques, sanzalas e aldeias.


Os pastores nas igrejas tradicionais têm um sentimento de titularidade e de ser chefe porque a maior parte deles  fracassaram na sociedade  e desgraçamente encontram lugar e definição de importância na igreja de Jesus Cristo. Por isso maltratam o povo de Deus por qual Jesus Cristo morreu na cruz e esquecem-se que são simples mensageiros porque a mensagem é Jesus Cristo e o Dono da mensagem é Deus Pai. Deus nunca chama fracassados na sociedade para o seu ministério e é por isso que as igrejas tradicionais estão cheias de chefes e de pessoas que procuram importância em nome de Jesus Cristo em vez de serviço, e um serviço que implica darem as suas próprias vidas por cause do Evangelho.

 

Os Pastores de hoje trasnformaram a igreja de Jesus Cristo num autêntico inferno de ódio, inveja, perseguição, opressão dos filhos e filhas de Deus. Impôe nas igrejas um regime castrista esquecendo-se que Jesus Cristo mesmo sabendo da traição de Judas Iscariotes nunca o apontou o dedo e muito menos o condenou. Jesus Cristo sabia que não era esta a sua missão porque o juízo pertence sómente a Deus. A opressão e perseguições que os senhores pastores fazem aos seus mebros só se pode comparar com no tempo da PIDE-DGS, DISA, Brinde ou a actual SINFO. Em vez dos membros viverem a sua fé livres,  estão mais oprimidos porque a voz do pastor muitas vezes rouca e venenosa é que se ouve mais e tem de ser obedecida mesmo quando é para o percípio. E esta perseguição, opressão e expulsão só existe porque muitos membros evoluiram intelectual, espiritual e socialmente muito mais do que os pastores.


 A igreja de Jesus Cristo não é negócio de nenhum homem e nunca se poderá entender com simples capacidades e faculdades humanas. Deus não precisa de conselhos de nenhum homem para poder fazer valer a sua vontade. Entretanto no Huambo, Benguela, Huíla, Bié, Namibe, Moxico e Luanda os pastores da IECA virarm autênticos “Algozes” do povo de Deus com perseguições e expulsões constantes de jovens. 


A missão da igreja de Jesus Cristo é esvaziar o inferno e encher o reino de Deus,  mas o que os pastores da IECA estão desesperadamente tentar fazer é esvaziar o reino de Deus e encher o inferno vendo o povo perdido. Que horror! Horror porque muitos deles se deliciem com esta prática satánica porque o único que veio para matar, roubar e destruir é satanás. Jesus veio ao mundo para juntar todas as pessoas, não só os perdidos da casa de Israel como também os gentios.


No Bié, por exemplo circulam informações que secretário provincial da IECA “Rev” António Lukamba que está a usar e manipular as autoridades tradicionais, administrações comunais e agentes da polícia nacional  para prenderem e mesmo matarem todos aqueles que foram expulsos da IECA que tentarem se organizar para adorar Deus fora dos edifícios da IECA.


Segundo alguns membros da SUA propriedade a “Catedral”, ele está muito furioso e com uma raiva visceral e espiritualemente impotente. Usa a intriga, difamação e a calúnia política em vez do Evangelho de Jesus Cristo para evangelizar, converter e convencer o povo de Deus que o abandonou por causa da sua arrogância e impotência espiritual. Ameça o povo com cadeias e mortes e usa inflamatoruamente o nome do “glorioso” partido MPLA para intimidar e insultar o povo de Deus. Sabemos muito bem que o senhor “Rev” António Lukamba tem todo o direito ser membro activo do  partido MPLA e funcionário no activo do SINFO. Mas quando estiver vestido de batina e colar que porte como um pastor e não um agitador político ou informador da “secreta”. Não se ter a noção da vocação ministerial é normal porque alguns são pastores erradmente e erramos. Também na igreja há tempo de arrependimento, mas perpetuar esta ignorância ao ponto de se transformar um “carrasco” contra o povo de Deus, isto é insanidade. Deus não precisa que os pastores intimidem o povo politicamente e com ameaças de prisão e de mortes. Este negócio não é do senhor Lukamba é de Deus e se não te arrependers e aprenderes a usar o Evangelho de Jesus Cristo para convencer, então podes mesmo seguir as tuas ambições desmdidads de ser deputado à assembleia ou vice-governador da província. Bem isto se tiveres qualidades e capacidades intelectuais que é diferente a bajulação e ao servilismo.


De quem afinal é a Catedral, é tua ou é da IECA? Bem sabemos que a construiste com os dinheiros do Estado porque és miltante do MPLA, mas foi em nome da IECA que recebeste os dinheiros e parte deste dinheiro desviaste e hoje estás a construir um prédio.  O Tribunal de Contas devia estar a tua atrás já na IECA prestação de contas não existe. Como pôde o senhor António ameçar os outros pastores do Sínodo do Bié “que ninguém ouse tocar na Catedral porque minha propriedade e ai daquele que o fizesse veria o que lhe aconteceria”. Então de quem é a Catedral no Bié?Infelizemnte como a cobardia, submissão cega e o servilismo são as maiores virtudes de muitos pastores da IECA todos calaram e engoliram em sêco esta humilhação “satánica”.


O sentimento de patrão e chefe dentro da IECA e outras igrejas tradicionais tornou-se um câncro onde as atitudes e práticas  dos pastores são os maiores inimigos do reino de Deus.
Sempre acreditei que na igreja de Jesus Cristo não existissem “ordens” duns supostamente mais fortes contra os outros supostamente mais fracos. Acreditei sempre que a igreja fôsse o lugar de maior igualitarismo, mas enganei-me totalmente. Abaixo segue o teor duma  contundete ordem disciplinar dum pastor da IECA contra os membros da “sua” comunidada só porque supostamente estes não obedeceram as suas ordens:


ASSUNTO: PARECER DO PASTOR (Para os dirigentes que terão a reunião na Sede na tarde do dia 20 de Maio)


“Saudações fraternais!


Depois do fracasso na participação do Pastorado de nova Vida nos ensaios e consequentemente no Coro das Ordenações, falha por mim informada nacircular anterior, sou do seguinte parecer: Os que considero autores do fracasso deixam de exercer as suas funções na Igreja, no entanto continuarão como membros em plena Comunhão.


Nesta condição estão os seguintes irmãos: NOVA VIDA SEDE: Pedro Mota (Dudú) pelo seguinte: Eu Pastor de Nova Vida pedi ao referido irmão que mobilizasse alguns jovens para o ensaio da 1ª voz conforme reza a circular vinda do Sínodo. E que entrasse em contacto com os jovens da Nova Alegria a quem eu também enviairia o mesmo recado e encontrar-se-iam no Bungo local do ensaio e que o ensaio das restantes vozes haveríamos de incluir Betel e Simeone. Ele disse-me no decorrer da mesma semana que teriam chegado tarde no Bungo e por isso nãp ensaiaram e que no ensaio póximo haveria de envidar esforços no sentido de estarem presentes a tempo. A prática mostrou que não se interessaram pelo ensaio. Depois do fracasso e no Domingo depois de eu ter anunciado a Congregação Sede a falha nossa como Pastorado, (E recorde-se que durente a minha explicação o irmão Dudú não estava no templo, e quando eu ia a sair para Nova Alegria, encontra-mo-nos na parte exterior do templo  e quando perguntei proque é que ele não estava no templo a resposta foi de que ele estava a ver alguns aspectos relacionados com o protocolo). Interrogado sobre o porquê que não contnuaram com os ensaios ele disse-me que era de opinião que este assunto deveria ser com o irmão Milton Director da Juventude do Pastorado. Outro aspecto que me deixa com algumas dúvidas e possívelmente seja o factor impeditivo devem ser os muito compromissos com o canto que o nosso irmão tem porque o encontrei no Pastorado da Bereia a ensaiar na tarde de Sábado quando me dirigia a sala onde tenho estado a dar aulas no Instituto Bíblico.


O irmão Dudú foi um jovem activo e até certo ponto exemplar no tempo em que eu era Pastor no Pastorado do Sião. Depois da minha ida a África do Sul e minha colocação no Nova vida, o encontrei na Igreja Sede e não questionei o porquê da mudança porque é minha convicção que a pessoa é livre de cultuar onde achar fazê-lo.. Mas tenho ouvido por alto que ele deixou a Boa Nova (Sião) por causa de alguns pendentes. Não me cabe a mim julgar este facto porque creio que a Sede ao recebê-lo deve ter tido razões para tal. Caso contrário então chegou o momento de ouvirmos explicações claras. Algumas actas do nosso Pastorado falam do irmão Dudú até porque este algum tempo ausente. Agora pessoalmente o encontro na Bereia a ensaiar quando não cumpre com uma ordem do Pastorado onde diz pertencer, então devemos sentar e ouvir bem as coisas e sou de opinião que os pastores do três Pastorados isto é Sião, Bereia e Nova Vida deverão com o mesmo irmão ter um encontro para esclarecimentos
A segunda pessoa é da NOVA ALEGRIA. Trata-se do irmão Milton Chivinda director da Juventude do Pastorado. Pedi a ele o mesmo que ao irmão Pedro Mota “Dudú). Ele nega ter recebido um ordem directa do Pastor e não vou forçar o caso. Mas a verdade é que se o não fiz directamente então pedi ao irmão Catequista da comunidade para trasnmitir o recado bem com o irmão Chinene.

 

A reacção à minha pergunta na reunião do Domingo na Betel não achei muito boa para aquele que dirige um grupo juvenil do Pastorado que deve seguir o exemplo do seu líder. E neste particular noto um défice no nosso Manual de Estatutos porque o antigo Manuel de Fé Ordem e Disciplina que depois foi tomando outros títulos tinha alguma coisa sobre o que  leva um membro a ficar sob disciplina da igreja que está omissa (ou então se não prestei a devida atenção ao nosso estatuto peço perdão por este erro de cálculo) e por isso não temos onde nos basear porque há algum tempo a falta de respeito aos superiores hirárquicos, aos mais velhos, etc, etc era passível de disciplina. Mas o que vi no Domingo na Betel, a forma de respostas e perguntas levam-me a dizer que temos muito de ensinar e sobretudo oara para que haja humildade no seio da igreja e humildade é virtude e não  é fraqueza como pensam alguns jovens. Interrogado se o catequista não o havia avisado (porque também tive a ideia de que eu também havia pedido ao Catequista da comunidade para avisar os seus jovens, a resposata foi: “O irmão Catequista perguntou-me se eu “Milton” sabia acerca  dos ensaios e eu disse que não e por isso não fui”.


A terceira pessoa é o irmão catequista Luther Samuhunga a quem eu pedi para transmitir ao Milton para mobilizar jovens para o Bungo. Se é verdade que depois de o Pastor pedir que trasnmitisse aos jovens para irem ao Bungo ao invés disso ele pergunta ao irmão Milton se sabia? A ponto de o Milton não ir e não haver uma explicação da parte do catequista sobre a ordem recebida, então estamos mal e eu não me sinto  bem com quem não consegue pôr em prática uma rodem que vem do seu pastor, depois de uma circular vinda do Sínodo num tempo de desafios sérios que exigem unidade dos dirigentes, então devo pensar duas vezes e não estou disposto a trabalhar directamente com quem não confia em mim por isso é que penso que não devem continuar com as suas funções que desempenham e possívelmente façam bem outras coisas em que não há colisão com o pastro e vão fazer esses trabalhos na seara do senhor mas com catequista que é o cooperador directo vou preferir quele que ouve e pôe em prática aquilo que digo ou que tenha a coragem de  reportar a tempo útil o seu desgrado para se emendar o que estiver errado por parte do Pastor.


O irmão Lutero nã este na Betel no encontro do Domingo pelo que poderá mostrar a sua versão e estaremos atentos a ouvi-lo. Estou a emitir o meu ponto de vista que será analisado no encontro colectivo, pelo que os irmãos visados para nºao faltarem ao encontro e mostrarem ali os seus pontos de vista e estaremos atentos a ouvi-los para o engrandecimento do reino de Deus.

Nota: Este é um assunto interno. Favor não divulgar antes de discutido.
Que Deus nos abençoe a todos
Vosso no Senhor Jesus
Abel  Hungulo
Pastor

Mensagem confusa dum pastor completamente confuso. Então falou ou não falou? Deu as ordens ou não deu?  È inacreditável que o senhor “pastor” Abel termina a sua missiva com uma benção para todos, quando na mesma carta desrespeita e maltrata os membros da igreja, filhos e filhas de Deus. Que benção é esta? Só pode ser dele, e não de Deus. Tamanha hipocrisia, e é por isso que o inferno está cheio de batinas  e clericais.


Dedicarem-se á caças ás bruxas por causa da vossa deficiência intelectual e falta de desenvolvimento espiritual  é lutar contra  a direcção em que o poder do Espirito sopra. As teorias e utopias espirituais de que foram intoxicados pertencem  á idade do obscurantismo espiritual onde infelizmente a grande maioria dos pastores vagueia. A Bíblia nos ensina que aquilo  que Deus tem para nos dar nenhum ouvido já ouviu, nenhum olho viu e nunca ainda penetrou no coração de algum homem. Bem, andar sómente naquilo que nós conhecemos é a marca dos fracos que não acreditam no Deus do impossível, todo poderoso e dos milagres que faz Pedro andar por cima das águas. Bem isto é estória para os pastores, não é verdade? Isto nunca aconteceu...


O mensageiro nunca pode ser mais importante do que a mensagem (Jesus Cristo) e o dono da mensagem (Deus). Os fariseus no tempo de Cristo acreditaram que podiam ser mais importante que Deus e assim crucificaram o filho de Deus. Assim como no Antigo Testamento os sacrifícios eram feitos pelos sacerdotes, jesus também foi sacrificado pelos sacerdotes do seu tempo. E hoje, será que é diferente? Não, o povo de Deus continua a ser sacrificados pelos sacerdotes. A história repete-se e os sacerdotes prefrem não querer entender.


Misericórdia meu Deus!

Domingos Kalupeteka
Membro da IECA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: