Luanda – Após um “tundapó,” da pretensão de acomodarem Pedro Van-Dúnem, levou um fora com salva de palmas de cerca de 90% dos presentes como rejeição ao seu nome de Pedro Van-Dúnem, ex-ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, acusado de desonesto e nada ter feito a classe, o proponente, um estranho à organização que tratava da escolha dos gestores para a Federação Angolana dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, segundo ele a mando do EME, alegando idoneidade e com capacidade daquele seu patrão que lhe pagava as estadias aqui e acolá. Então, lambem as botas que os escravizam. Ainda não foi desta “doutor” Chico. Saiu com a cauda enfiada entre o rabinho.

Fonte: Club-k.net


Segundo a fonte, no partido, o “doutor” Chico desforrou-se, ralhando com os cotas... Mas que falta de respeito. Coisas a EME. A juventude é quem sabe tudo... Hoje já???

O Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, na qualidade de anfitrião para o acto, já que a proclamação se fez a um ano, pretente aliviar as críticas que têm sido feitas sobretudo pelos Partidos da Oposição, UNITA E FNLA, que percebem as manobras  macabras do EME. E não é que tinham razão??? “Até entre nós???

O Ministério remedeia a situação, ao apresentar um esquema antigo, conhecido pelos subscritóres da Federação ora proclamada, cujo impasse se veio a saber. No EME, desputava-se o lugar no poleiro, no cargo de Presidente Executivo da Federação, quanto a eles, um lugar de destaque, invejado por Caetano Baião, que morre de ciúmes ao então Deputado Constantino Santos, “Kinito”, a quem inferniza com queixas ao Chefe Nvunda, seu amigo? Huuummm... E  colega no CC do EME, um lugar destinado ao outro, mas, dado a si como compensação...

Este Baião, agora também é da Secreta, depois do fraccionismo, para ter um bom lugar e tudo quanto almeja...

Quando no dia 16.11.12, os responsáveis de todas as associações do EME, da FNLA, da UNITA e outras subscritoras da proclamação, se preparavam para os nomes do esquema adoptado, o secretário geral da Associação dos Antigos Combatentes é chamado pelo Secretário de Estado Clemente Conjuca, que o informa de que por ordem do EME, HUUUMMM... Devia retirar a candidatura da sua organização, que, como se sabe, é ele o indicado para o posto de Presidente da Federação dos Combatentes de Angola.

A desculpa é que ele iria ocupar altas funções no Estado angolano, ahahah... e então ser necessário o seu afastamento, embora possa continuar como Presidente da Associação dos Antigos Combatentes.

Que sujeiras e baixezas, em nome do EME! A nossa fonte assegurou que o cota Kinito, homem de unanimidade no seio, que quando abre a boca todos aplaudimos porque se expressa em todas línguas nacionais, riu-se e perguntou, um alto cargo? De Ministro sem pasta?

Aliás, sondamos alguns cotas, homens e mulheres, que informaram que a Associação dos Antigos Combatentes do EME, é já obra do passado, só se lembram dela quando o Senhor Presidente fala dos Antigos Combatentes ou quando pretendem fazer curriculum para ocuparem lugares...Também perguntou... Vou para “os Altos Cargos” e quem me substituirá?

Também um grande militante. Respondeu o secretário, a pedir auxílio para a sua apresentação. Quem? o Tino Peliganga. Quem? Dizem que o cota pegou pesado no dizer brasileiro, nunca. A sala dizem que se agitou, ao que o cota Kinito concordou poder retirar-se, mas nunca pactuar com mentiras, sobretudo para elementos cobardes, como o Tino Peliganga e Francisco Baião, que passavam a vida a falar mal dele, para terem lugares, sempre debaixo das saias do partido o que é grave. Um outro cota que lá estava, foi aconselhado a ficar calado também.

De volta a sala da assembleia, onde já se encontravam todos os membros das associações, o secretário Clemente Conjuca, engoliu a responsabilidade ou medo, ao não pronunciar o nome do Tino Peliganga, ficando a direcção da federação ainda a cargo da Associação dos Antigos Combatentes.

O cota Kinito foi felicitado por muitos que desconheciam os conselhos e a verdade do EME ali deturpada... Qual será o desfecho?

O Tino Peliganga, esteve preso alguns meses antes do 25 de Abril no Tarrafal, é filho de um bufo da PIDE, que também foi arrastado a prisão em Moçamedes, pelos ventos do EME em Luanda. Os patrões colonos, não o pouparam e deram a esse velho bufo, o estatuto de também herói da Revolução Angolana?

O filho, ainda jovem, o Tino Peliganga, mais conhecido como Tino Kiji banganga, adere a secreta, aliás ele e o irmão, a DISA-PIDE, melhor DISA, a tenebrosa polícia do regime mono, em que o Tino Kijibanganga “assassino”,  se converte em heróis, matando sem piedade muitos angolanos no 27 de Maio de 1977, como seus compadres, bem conhecidos por todos, que eram um terror.

Muitos preferem os seus compadres, ao cinismo do Tino Kiji, um covarde que se esconde nas portas que o EME lhe abriu, onde já ganhou também voz, um xóto. Também o que se espera de homens que se escondem, um na sabedoria e progresso da mulher justificados, e outro na mediocridade da esposa, deputada, jurista deficiente, a semelhança dele.

Quanto sabemos, o Tino Kiji, não ficou por aí... andou com as mulheres até dos ex-colegas de cadeia, deviam é todos morrer, como afirmava e fazia-o.

Ele já vai sozinho ao Bairro Popular, aonde torturou a juventude do seu tempo???
Que passado político tem? É para controlar a Federação em Democracia? Ele que continue com o álcool dele, com quem se dá muito bem...

Lamentavelmente, em nada saiu a mãe, uma grande senhora, que deu um fruto ruim, puxou o pai... Sempre apunhalando nas traseiras, até aos seus amigos...

Assinado, eu, Dinis Bento João, militante do MPLA

Obs: Em momento nenhum, falei do meu movimento MPLA, porque são só histórias de alguns oportunistas. Tenho pena do meu MPLA. Aiuéééé meu MPLA.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: