À(O)
SUA EXCELÊNCIA SENHOR
PRESIDENTE DA REPÚBLICA
DE ANGOLA ENGENHEIRO, JOSÉ
EDUARDO DOS SANTOS.

LUANDA


ASSUNTO: RESENHA EXPOSITIVA DA SITUAÇÃO VIVIDA PELA FAMILIA REAL THUMBA KALUNGA.

N/REFª Nº 12 FTK/2012.

V/Refª

Os nossos melhores cumprimentos:

EXCELÊNCIA, senhor Presidente da República, A família Real Thumba Kalunga tem a honra de apresentar os seus cordiais cumprimentos, de alta consideração, do Vosso, mui, digníssimo empenho quotidiano, em prol do povo Angola, de quem é parte integrante.

A Família Real Thumba Kalunga Como pilar e alicerce do reino do Povo Lunda-Cokwe, ao iniciar a apresentação desta resenha expositiva à V/EXA, a Família Real Thumba Kalunga congratula-se com a continuidade da senhora governadora Cândida Maria Guilherme Narciso à frente do Governo Provincial da Lunda-Sul, para dar sequência ao programa do governo recebido em 2008, visando a satisfação das necessidades e condições sociais das populações.

A Família Thumba Kalunga, é o pilar e alicerce do reino Lunda-Cokwe, Acesse e Netos, felicitamos ao partido MPLA, por ter vencido as eleições-gerais realizadas este ano.
Esta família é sobejamente conhecida como fiel aos ideais do partido que governa há mais de 30 anos pelos factos aqui identificados, contudo, apenas recebe do partido da situação a humilhação e desqualificação das suas origens e subalternação da sua cultura e tradição pela coerção que inibe, a sua manifestação, seu regozijo em eventos relacionados com rituais segundo os requisitos do reino Lunda-Cokwe para a recepção condigna de um alto magistrado da nação. Mas por esta razão nem sequer se fez presente no aeroporto.

De igual modo a Família Real nunca é ouvido para expressar as opiniões e conhecimentos pertinentes sobre a realidade tradicional e cultural do Leste no que concerne às formalidades relacionados com a história de Angola que o executivo leva a cabo.

Expondo os factos, com a permissão de V/EXCELENCIA, a Família Real Thumba Kalunga aproveita esta oportunidade e passa apresentação:

1. Digamos que, esta família o que nos falta é só a morte por causa da miséria, nudez e o desemprego.

2. Os colonizadores reforçaram a dominação da África com a evangelização missionária Católica romana, destruindo a tradição, valores, princípios e toda a herança cultual africana nas sociedades. Em defesa dessa herança cultural, a FRTK, Acesse e Netos, enquanto pilar e alicerce do reino do povo Lunda Cokwe, estuda a sua história através do tempo com o testemunho dos seus membros que vivenciaram os factos e foram passando as narrativas oralmente e as genealogias dos nossos bisavôs até chegarem aos nossos dias, através da I.I.Z.B.A.- Igreja de Invocação do Zambi dos nossos Bisavôs Africanos. 

3. EXCELENCIA, Somos uma parte considerável no mosaico angolano que vive na exclusão por força de mentiras, intrigas e maledicência reinantes, quando também nos assiste o direito e a responsabilidade social de participação por causa do nosso estatuto, com o fim de levarmos ao centro das decisões a visão dos Miana-ngana como contribuição à governação da região em particular, e o país em geral.

Para sustentar o nosso ponto de vista sobre a perseguição e exclusão que a Família Real Thumba Kalunga sofre, pode ser mensurável pela sua exígua ou praticamente inexistente representatividade nos Conselhos da República e de Ministros, na Assembleia Nacional, na decisão dos Governos Provinciais, das empresas diamantíferas, das missões diplomáticas e em todo o aparelho do Estado.

4. Excelência, o mundo como este que onde a mentira converteu-se na verdade, e a verdade em mentira, onde que cada um defende o seu pão de dia-a-dia, alguns membros do partido MPLA esqueceram-se de serem simples servidores com a missão de trazer a verdade sobre a contribuição de cada povo nas tarefas de revolução.

Foi assim que a família Thumba Kalunga entregaram a área do Luar como a primeira base a então movimento, para construção do C.I.M. Centro de Instrução Militar do MPLA. Foi esta família que arrancou as suas lavras e deu os seus bens galinhas, cabritos, bois para ajudar na logística entregues pelo membro da família Thumba Kalunga.

5. O reconhecimento do empenho desta Família pelo governo da Lunda-Sul, só a partir dos quatro mil homens e mulheres levados nos Maquís pelo então filho, o general Celestino Bernardo Chizainga para combater contra o exército português, um dos quais apenas tinha regressado meia dúzia. Por este motivo não têm merecido oportunidade em termos de reconhecimento tal como acontece noutras regiões.

Excelência, senhor Presidente da República, transmitir a cultura, tradição, verdade, Educação, hábitos, uso e costumes não é uma tarefa fácil, mas sim, é demonstrar o sacrifício, dedicação e amor ao nosso criador, segundo a nossa classificação. O senhor Presidente está a demonstrar ao mundo internacional, particularmente Angola, o grande empenho de toda sua juventude nas matas dos Maquís como combatente, libertador, realmente do seu povo e o desejo de ver mesmo a vida social de Angola estável.

A família Thumba Kalunga desde 1975 passou a ocupar cargos no governo provinciais, central, nas empresas diamantíferas e entre outros. Mas hoje não sabemos porque fomos excluídos, mas hoje não temos esta representatividade, no actual aparelho. Muitos no MPLA que erraram e erros gravíssimos, quanto esses continuam a trabalhar.

Excelência, renovamos os nossos apreços, nós cumprimos com os nossos deveres, agora é altura de reivindicarmos os nossos direitos, não perguntamos o que vamos fazer, porque nós sempre somos mobilizadores, activistas políticos do partido MPLA.

No entanto, agora esperamos por parte da Vossa Excelência, senhor presidente da república que vele pelas nossas condições sociais, assim como não deixar mais o leste sem as visitas feitas pela Vossa excelência, embora que tenha conselheiros que responda a parte leste, estes não conhecem devidamente a linhagem e a constituição do império Lunda e a sua complexidade devidamente.

A história é que nos leva a reclamar o nosso direito, cuja mesma não se compra, não se troca, nem tão pouco se pode ocultar ou adulterar, porque ela é a convivência, realidade de um determinado povo.

Na ânsia de que, esta nossa petição merecerá a devida atenção por parte da V/Excelência, subscrevemos  com estima e alta consideração.

Os Mianangana

AOS 28 DE NOVEMBRO DE 2012.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: