Luanda - O músico angolano Bruno M exortou o Governo e o Presidente João Lourenço a serem “mais ousados” na sua governação.

Fonte: VOA

“Devem ser mais ousados para fazerem Angola crescer”, disse o kudurista no programa “Angola Fala Só”.

 

Ao longo do programa ele respondeu a perguntas sobre o seu afastamento dos palcos e lançou também um apelo à honestidade dos políticos.

 

“Os servidores públicos são eleitos para prestar serviço”, sunlinhou.

 

“Não compreendo como é que depois de serem eleitos esquecem-se de onde vieram e quem são”, afirmou Bruno M, lembrando ser dever dos governantes promover “a justiça social, servir os mais fracos”

 

Bruno M, que não esconde a sua fé cristã, negou que se tivesse afastado dos palcos devido à sua fé.

 

Muitos ouvintes manifestaram o seu apoio à música dele e interrogaram-no, várias vezes, sobre o regresso.

 

“Não foi por causa da igreja”, disse mas afirmou não poder dizer quando é que vai regressar.

 

“Encontrei outras questões mais interessantes”, acrescentou o kudurista, dizendo que a vida ensinou-lhe que se deve ter “muitos cuidados em fazer declarações sobre o futuro”

 

“O amanhã só Deus conhece”, pontuou Bruno M, que, no entanto, admitiu ter "algo novo dentro de 6 a 12 meses".

 

O músico abordou também a influência da música na sociedade, que sempre tem um forte elemento político.

 

Bruno M encorajou os angolanos a enfrentarem as dificuldades com coragem pois “ninguém cresce sem queda, sem crise” recordando o livro de Job, na Bíblia.

 

Interrogado sobre uma afirmação sua de que todos que governam foram escolhidos por Deus, o músico respondeu que Deus deu ao homem “o poder de escolha” entre o bem e o mal.

 

"Mas tudo vem de Deus", sublinhou.

 

Bruno M afirmou, frente a perguntas de internautas e ouvintes, que o uso de palavras obscenas por muitos músicos tem muito a ver com questões comerciais, com músicos a olharem “para o lado da balança que dá mais”.

 

“Infelizmente há o imediatismo”, reiterou, lembrando, no entanto, ser "mais fácil chamar a atenção com acções negativas do que positivas”.

 

Interrogado por um ouvinte sobre a diferença da sua vida desde que saiu dos palcos e se converteu à fé cristã, Bruno M afirmou que desde então tudo tem sido “maravilhoso”

 

“Posso dizer que atingi a plenitude do homem porque o homem é feitura de Deus”, disse.

 

“Deus nunca saiu do seu lugar, as pessoas é que habitualmente saem do seu lugar e depois querem perguntar onde é que Deus está”, afirmou o kudurista para quem “Deus mudou a minha vida e continua a mudar a minha vida”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: