Luanda - Devo confessar que não tenho pachorra em discorrer sobre questões de índole política, mas não me inibo de discorrer sobre estas questões no âmbito do exercício de cidadania, e democracia participativa, bem como a liberdade de expressão.

Fonte: Club-k.net

Posto isto, importa referir que durante as últimas semanas e agora ontem e hoje se têm levantado algumas vozes sobre o actual Secretário da JURA Agostinho Camuanga ou seja do actual lider do braço juvenil da UNITA, quanto ao seu perfomance nas recentes intervenções públicas, sobretudo na TV ZIMBO e agora na MFM no programa João 2 Pontos. Devo também antes referir que não o acompanhei a sua intervenção da TV, mas tive o privilégio, sublinho privilégio de acompanha-lo na MFM do primeiro ao último segundo.


Entretanto, sendo um jovem e sobretudo pelo facto de estar em frente de uma organização juvenil partidária deve merecer o meu apoio e quiça da massa juvenil angolana pelos seguintes motivos:


1 - Não paira entre nós jovens a cultura associativista ou de intervenção social organizacional;


2 - A coragem e a forma vertical como se tem apresentado publicamente, a julgar pela sua intervenção no programa João 2 pontos, mantendo a sua originalidade e coerência na sua abordagem as distintas questões, não obstante o levantar de algumas vozes criticas;


3 - Pela sua intelectualidade e posicionamento;

Desavio, reitero desavio neste espaço os jovens que o criticam a apresentarem uma visão diferente além das críticas a sua pessoa e ideais. De igual modo que lamento o facto de enquanto jovens não unirmos sinergias em torno dos poucos jovens que "sacrificam-se publicamente" ao assumirem tais cargos independemente das cores partidarias que defendem. Apenas e somente visando uma melhor compreensão desta minha abordagem, devo referir que, ainda que seja por ironia do destino e num único momento, privar com o ex-Secretário da JURA Nfuca Muzemba e não acho que estejamos a ser coerentes tentarmos tomar o actual pelo seu antecessor, sem qualquer desprimor a ambos, aos quais encorajo a perseguirem os seus projectos sociais.

 

Afinal o que o diferencia daqueles que a "solo" tanto quanto o nosso Dog Murrras agora na sua "nova versão", o Isidro Fortunato no seu estilo habitual e outros que vão proferindo algumas frases soltas e sem qualquer sentido construtivo, senão dar voz àqueles que se abstenham de pensar?

 

Portanto, precisamos abordar com verticalidade e objetivada, sem quaisquer subjectivimo o que nós, enquanto jovens pretendemos alcançar e qual o caminho a seguir... Não me parece, quanto repudio aqueles que à nascença pretendem "abortar" os jovens que, independentemente das suas opções, decidiram por cidadania mais activa contribuir na vida política do nosso país, aliás o nosso jovem músico kudurista Sebem já há algum tempo cantou que "ninguém é melhor que ninguém", ao que acrescento: haja tolerância e respeito a opinião alheia, o respeito pelas opções políticas e ideológicas de cada um.

Todos juntos somos poucos para o processo de construção de uma Angola verdadeiramente Democrática e de Direitos, onde todos possamos concretizar as nossas expectativas de vida.

Bem haja a todos os jovens desta nova Angola.

 N'junjulo J. António



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: