Luanda - Caro compatriota e companheiro de Armas General Abílio Kamalata Numa. O momento que o país e o povo Angolano vive, face a pandemia do Covid 19 é de muita paz, reflexão e serenidade. Por tal razão, na condição de cidadãos nacionais com elevadas responsabilidades política e na qualidade de Generais imbuídos de sentido patriótico e de estado devemos evitar que alguns princípios doutrinários, ideológicos ou político do passado voltem a fazer parte das nossas agendas pessoais, sob risco de falharmos o nosso compromisso de preservação da paz, harmonia e reconciliação nacional.

Fonte: Club-k.net

Diz-se disponível para depois  da pandemia do Covid 19 

É incompreensível as suas justificações relativas ao desafio que lhe foi formulado pelo General António José Maria para um debate público, a fim de esclarecerem as verdades sobre o tema ligado a Batalha do Cuito Cuanavale, pelas seguintes razões:


1-Os Generais Numa e Chilingutila ao realizarem uma conferência de imprensa com os órgãos de comunicação social para esgrimirem as suas razões de fundo ou pretenderem esclarecer a opinião pública nacional e internacional a versão do partido Unita sobre a Batalha do Cuito Cuanavale, têm o dever moral e a obrigação de aceitar o contraditório para que de facto o lado oposto possa também fundamentar as suas convicções sobre o que foram realmente os vários episódios de guerra que consagraram a referida Batalha;


2-Se o General Numa justifica a sua não aceitação do referido debate com o General José Maria pelo facto deste não ter estado no teatro das operações militares durante o desenvolvimento da Batalha e pelo facto deste (General José Maria) encontrar-se na condição de presidiário domiciliar, então que aceite o mesmo desafio feito por mim General de Exército Francisco Pereira Furtado, na mesma condição de reformado que em termos de domínio real dos antecedentes e demais factos que estiveram na origem da mesma Batalha e participante direito na concepção e condução do plano operacional e da decisão da “Operação Zebra” das ex-FAPLA que 21 meses depois do fim da histórica “Batalha do Cuito Cuanavale” concluiu efetivamente com a retomada da sede do município de Mavinga na província do Kuando Kubango.

 

Colocar-me-ei a vossa inteira disposição para logo que a situação da pandemia do Covid 19 em Angola esteja controlada agendarmos o debate para clarificação dos argumentos de razão de ambas partes.

 

Luanda, aos 28 de Março de 2020

Francisco Pereira Furtado
General de Exército
“Reformado”



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: