Luanda - A Comissão da Carteira é Ética, após ter recebido as suas instalações na semana passada, que tem como presidente a jornalista Maria Luísa Rogério, começa a dar sinais de que também não está composta pelas pessoas certas, uma situação que continua a ser uma constante nas nossas instituições públicas de administração directa ou indirecta do Estado.  Encontrar a pessoa certa para o lugar certo é, de acordo com a minha observação, o nosso maior problema em Angola, em todos os níveis.

Fonte: Club-k.net

E a CCE e o SINSE ficam no silêncio?

Não faz sentido que um membro da Comissão da Carteira e Ética, o jornalista Coque Mukuta, use um "portal de notícias" para expor passes de serviço de um cidadão angolano, que não roubou nem faz nada a ninguém, sem sequer escrever uma linha que constituísse "notícia".


Será que é um bom exemplo um "portal de notícias" andar a publicar passes de serviço de cidadãos angolanos, por mera intriga ou problemas pessoais com alguém, sem que haja um valor noticioso em tal acto?


Como é que alguém que pertence à Comissão da Carteira e Ética tem esta conduta e vai cassar a certeira profissional dos outros jornalistas que também não tenham boa conduta? Faz sentido?


Vamos continuar a ter moralistas sem moral nas nossas instituições?


E nós ficamos no silêncio como se nada estivesse a acontecer?


E ainda vemos jornalistas conceituados a partilhar uma matéria que mais invade a vida privada de alguém, violando a lei, do que mostrar factos noticiosos?


Basta que um jornalista tenha um passe (de alguma instituição qualquer) de alguém para essa pessoa, que deve gozar do seu bom nome, honra, reputação e deve ter a sua privada (o seu passado) salvaguardada para ser exposta num "portal de notícias" onde não aparece nenhuma linha que mostre ter havido alguma anomalia?


É esta Comissão da Carteira e Ética que vai regular, individualmente, a conduta e deontologia dos jornalistas, com alguém, que faz parte dessa entidade, com esse comportamento? E todos nós ficamos a aplaudir só porque não gostamos do Carlos Alberto?


Vamos alimentar isso?

Se nós fóssemos um país normal, o jornalista Coque Mukuta, pela gravidade da situação, já não devia fazer parte da Comissão da Carteira e Ética. Não tem perfil para tal. E foi provado.


E o SINSE deve dar uma explicação à sociedade sobre o que aconteceu com esta exposição de um seu ex-funcionário.


Um antigo Oficial de Inteligência tem de ser protegido. É assim em qualquer parte do mundo. Alguém tem de ser responsabilizado pelo que aconteceu.


Como é que passes antigos de uma instituição como o SINSE são expostos desta maneira, como se fossem brinquedos, com símbolos da República de Angola, e tudo fica assim?
Que país é este?


O Coque Mukuta já não tem condições morais para continuar na Comissão da Carteira e Ética e o SINSE deve reagir urgentemente.


Nenhum cidadão pode ser prejudicado por ter pertencido aos serviços secretos de Angola.
Nós estamos aqui a brincar com coisas sérias.


Eu peço que o Chefe do SINSE, o general Garcia Miala, tome medidas urgentes para servir de correctivo para o futuro.

Hoje muitos estão a rir-se por ser com o Carlos Alberto. E quando for com outra pessoa, com grandes responsabilidades no país? Vão continuar a rir-se?

Carlos Alberto (on facebook)
05.08.2020

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: