Lunda Norte – A população de Cafunfo no município do Cuango, voltou, desde as primeiras horas deste sábado 30, a lembrar o clima de guerra, a conviver com fortes tiroteios, com a presença nas ruas de um aparato de homens fardados e armados, de pequeno ao grande calibre, e do outro lado, insurgentes com catanas, machados, zagaias, flechas, pedras e paus.
                  
*Evalina Ding’s
Fonte: Club-k.net

Agres.jpg - 83,96 kBA rixa entre forças da manutenção da ordem e o Movimento do Protetorado Português da Lunda Tchokwe (MPPLT), apoiado por um elevado número de populares, resultou em mais de 10 mortes e dezenas de feridos e detidos, contou a fonte contactada pelo Club-K.

 

O acto convocado pelo Zeca Mutxima, líder do Protectorado da Lunda Tchokwe, diz a fonte que não foi autorizado pela administração do município do Cuango, por este facto, está ser classificado por subversão da ordem.

 

Tal como previsto, Zeca Mutxima acertou no alvo. Com as mortes, feridos e detidos, Zeca conseguiu colocar a população do Cuango de costas viradas com o governo do MPLA, e analistas dizem que, desta forma, abrem-se caminhos para a tão propalada independência das Lundas.

 

A nossa fonte frisou existir nas Lundas um descontentamento popular generalizado, um ambiente sócio económico instável, associado a fome e miséria que assola a população, são armas que estão a ser usadas contra o governo do MPLA, “A paz social naquela parcela de Angola, está ameaçada”, rematou, dizendo que a prova do que diz está na massa popular que saiu as ruas sob convocação do líder do movimento.


Eis a q pergunta: porque o Cafunfo e não Dundo, Lukapa ou Chitato?

 

Porque militarmente, depôs da Comuna de Camaxilo no município de Caungula, Cafunfo é um ponto estratégico. Respondeu José Costa, eis soldado na antiga FAPLAS. Cafunfo facilita qualquer manobra militar, o facto de estar numa elevação, oferece inúmeras vantagens. Não é por acaso que o comando da 75 brigada de infantaria motorizada das FAA (Forças Armadas Angolanas), bem como o da polícia da guarda de fronteira, encontra-se no Cafunfo.

 

Agresss.jpg - 90,39 kBOutra vantagem refere-se as infra-estruturas e vias de comunicação. Cafunfo tem um aeroporto em estado operacional, tem acesso a província de Malange e república do Congo. As infra-estruturas deixadas pela diamang encontram-se em boas condições, são condições básicas para instalar uma administração pública.

 

Ao nível do município do Cuango, Cafunfo acolhe maior número de populares. É por este motivo, que as sedes dos partidos políticos com assentos no parlamento estão lá. Porém, o executivo do Presidente João Lourenço, não têm sabido tirar proveito destas vantagens.


Com uma população heterogenia, é socialmente pobre, a falta de saneamento básico, a falta de água, da energia eléctrica, ruas esburacadas, vias de comunicação em elevado nível de degradação, tem contribuído no elevado nível de insatisfação popular.

 

Segundo a fonte no local, a manifestação convocada pela direcção do Protetorado, contou com apoio da juventude que viu seu sonho de fazer licenciatura na escola pedagógica do Cuango anulado, porquê, foi retirado do Cuango a escola superior pedagógica.

 

Foram também na referida marcha, mulheres camponesas cujas as lavras foram recebidas pelas empresas mineiras, que não contribuiem no desenvolvimento da região. Igualmente participaram os ex-trabalhadores da Endiama, que ficaram sem suas pensões e sem indemnizações pelos anos de trabalhos naquela empresa pública e ninguém diz nada.

 

Agress.jpg - 91,29 kBDesta forma, as portas da instabilidade no Cuango abriram-se e vão estender-se aos demais municípios da Lunda-Norte, justificado pela falta da vontade política do seu governo em inverter o quadro de pobreza naquela rica parcela de Angola. Com as mortes dos seus parentes e familiares, feridos e vandalização dos seus bens, Zeca Mutxima, conseguiu, colocar a população contra o partido que governa.

 

 Notícia em actualização

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: