Lisboa - A Direção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), da Procuradoria-Geral da República não deu provimento a um pedido do general Leopoldino Fragoso do Nascimento “Dino” que solicitara a devolução do seu passaporte para poder fazer uma deslocação ao exterior do país.

Fonte: Club-k.net

Leopoldino Fragoso do Nascimento “Dino” e Manuel Hélder Vicente Dias Júnior “Kopelipa”, ambos antigos homens fortes do antigo Presidente José Eduardo dos Santos, viram os seus passaportes confiscados pela PGR depois de terem sido constituídos arguidos, em Outubro de 2020, devido aos negócios entre o Estado angolano e a empresa China International Funds (CIF), conotada aos seus interesses empresariais.

 

No passado mês de Janeiro, o general “Dino” havia feito o requerimento para devolução dos seus documentos de viagens para uma deslocação ao exterior do país, na qual fontes do Club-K, foram inexactas em explicar se a pretendida viagem visava ir prestar assistência ao antigo Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos ou se pretendia acompanhar a família que recentemente viajou para o exterior do país.

 

No dia 20 de Janeiro, a defesa desta alta patente militar na reforma deslocou-se ao DNIAP na qual foi lhe comunicado a decisão de rejeição da entrega dos documentos de viagem.

 

A semana passada o jurista William Tonet, lembrou, a uma das darmos locais, que é do conhecimento de todos que o general Leopoldino Fragoso do Nascimento é a figura que presta assistência ao antigo Presidente José Eduardo dos Santos recordando que limitações a este afecta de que maneira o antecessor de João Lourenço.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: