Luanda - O Engenheiro Adalberto Costa Júnior era, até bem pouco tempo, uma figura politica que todo o jornalista queria entrevistar para o seu veículo de comunicação social.  Bastou ser eleito presidente da UNITA para o cenário todo mudar completamente.  Até Novembro de 2019, as declarações de Adalberto Costa Júnior captavam audiência para todo e qualquer órgão de comunicação social da nossa praça política. Era um produto que vendia e rendia valor.

Fonte: Club-k.net

Desde que foi eleito Presidente da UNITA, em Novembro de 2019, a situação está mudada.  O político cujas declarações podiam passar todos os dias nos órgãos sem fartar, hoje é proibido ser entrevistado e as suas declarações terem aquele destaque naqueles mesmos órgãos que se sentiam lisonjeados quando entrevistassem Adalberto Costa Júnior.


A jornalista Silvia Samara que, a título meramente informal, manifestou interesse de ter no espaço "A Grande Entrevista da TPA", o Presidente da UNITA, não deu sequência à manifestada intenção e foi mudada.


Nesta terça-feira, Adalberto Costa Júnior convocou uma conferência de imprensa, para reagir ao anúncio da revisão pontual da CRA do Presidente da República. A TV Zimbo assim como a TPA foram avisados. A TPA não compareceu e a TV Zimbo chegou tarde, trinta minutos depois da conferência de imprensa.


Quando os repórteres informaram aos directores da estação que a conferência tinha já terminado, aqueles ordenaram que solicitassem um exclusivo com o líder da UNITA que já se encontrava engajado na sua agenda.


Entre gravar a comunicação do líder da UNITA e comprometer-se a passar na íntegra, como fazem com os actores do Partido da situação, os directores da TV Zimbo escolheram não gravar, numa clara demonstração de que não é deles que depende a decisão de publicar ou não as declarações de políticos da estirpe de Adalberto Costa Júnior.


Quem não se recorda do serviço público que a TV Zimbo prestava à sociedade? Até, fazia mesmo sentido o slogan de que TV Zimbo mudou a forma de fazer televisão em Angola. Fazia mesmo sentido a invocação ao jornalismo Zimbo. Era na verdade um modelo exemplar. Mas na actualidade, me desculpem os meus amigos que tenho na TV Zimbo, observadores atentos dizem que estão a 180° desviados do rumo que vos tinha catapultado para altos patamares, na era do ex-presidente José Eduardo dos Santos e nos primeiros anos do mandato do Presidente João Lourenço.


Quando ocorreu o arresto, o Executivo deve ter imposto algumas condições do tipo: muito bem, vamos salvaguardar o emprego dos trabalhadores, os salários e tudo mais, mas vao fazer o que determinar o Executivo.


Eu cheguei a vaticinar que os veículos de comunicação social que foram criados/constituídos com fundos desviados dos cofres do Estado e que por essa razão foram arrastados iriam mudar a sua linha editorial e passariam a obedecer estritamente as ordens do novo GRECIMA. Também cheguei a manifestar a convicção de que, contrariamente as garantias e otimismo do Ministro Homem, os mesmos veículos não seria reprivatizados antes das eleições. Espero que o futuro e os factos me desmintam.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: